“Finge de louca”, diz irmão de vítima da sociopata do sexo, de Vilhena

Familiares do jovem Marcos Catanio Porto, assassinado a facadas pela ex-namorada durante o ato sexual, discordam que a suspeita Vania Basílio Rocha seja sociopata. Conforme laudos divulgados  pelo Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) em Vilhena (RO), a acusada sofre de transtorno de personalidade antissocial. “Ela era normal. Creio que está fingindo de louca. Ela tem que pagar pelo que fez e em júri popular”, enfatiza o irmão da vítima, Alberto Catanio Porto.

Vania, hoje com 19 anos, confessou ter matado o ex-namorado, Marcos Catanio Porto, no fim do ano passado”Queria matar alguém. Fiquei olhando olho no olho até ele morrer”, disse ela na época. Segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML), o ex-namorado da jovem foi morto com 11 facadas.

Familiares contam que durante o período que Vania frequentou a casa da família, ela se apresentava com normalidade. “Era uma pessoa normal, carinhosa e meiga. Até trabalhou de babá. Tinha uma convivência normal com as pessoas. Queremos que ela se responsabilize totalmente pelo que fez”, afirma a cunhada de Marcos, Daiani Moreira.

Preferindo não ser fotografado, o irmão de Marcos Catanio conta que estava no aguardo da decisão do judiciário sobre a sanidade de Vania para tomar providências. “Isso é estratégia para diminuir a pena. Creio que ela tinha capacidade sim de saber o que estava fazendo. Queremos que ela seja julgada pelo júri popular. Vamos entrar com advogado agora e pedir uma nova avaliação médica”, afirma Alberto.

Leia também:

Rapaz assassinado durante sexo em Vilhena levou 11 facadas, aponta laudo médico

Os parentes também ressaltam que a suspeita age com normalidade dentro do presídio, o que afasta a hipótese de doença mental. “Ela só agiu diferente nos primeiros dias prisão. Agora ela age normalmente. Se tivesse problemas mentais apresentaria comportamento estranho durante todo o tempo”, justifica Daiani.

Crime e confissão

No dia 30 de dezembro de 2015, a vendedora Vania Basílio Rocha, então com 18 anos, foi presa em flagrante após matar a facadas o ex-namorado Marcos Catanio Porto, de 26.

Segundo a Polícia Civil, o crime aconteceu na casa da vítima, no momento em que os dois iriam iniciar uma relação sexual. Enquanto estavam deitados na cama, a jovem pegou a faca, que estava escondida dentro da bolsa, e golpeou Marcos em várias partes do corpo. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

Após ser presa, ainda na delegacia, Vania relatou que planejou o crime. Segundo ela, três nomes de possíveis vítimas foram colocados em uma lista: um amigo, um “ficante” e o ex-namorado. Na noite de terça-feira (29), ela ligou para os dois primeiros, que não puderam vê-la, pois estavam com a família.

Na manhã do dia 30, Vania ligou para Marcos alegando que queria se despedir, pois iria embora para outro estado. Ela então colocou uma faca de cozinha dentro da bolsa e foi para a casa da vítima, que havia aceitado receber a visita. O casal foi para o quarto e, durante as preliminares sexuais, ela esfaqueou o ex-namorado.

“Eu queria matar uma pessoa só, dos três. Eu tapei o olho dele. Aí peguei a faca e meti nele. Ele reagiu e veio para cima de mim e eu fui para cima dele também. Eu enforquei ele e aí comecei a meter [facadas] em outras partes do corpo dele. Daí, ele gritou socorro e a porta estava trancada. O irmão dele quebrou a janela. Quando o irmão dele entrou, ele já estava quase morrendo. Fiquei olhando olho no olho até ele morrer”, narrou Vania.

Segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML), o ex-namorado da jovem foi morto com 11 facadas.

A reportagem é do G1/RO e você confere à íntegra, AQUI

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta