Fracasso de intervenção no RJ pode ajudar Bolsonaro, diz consultoria

A decisão do governo Michel Temer de decretar intervenção federal no Rio de Janeiro pode ter um beneficiário improvável: Jair Bolsonaro. Pelo menos é o que diz a consultoria Eurasia.

Com o anúncio, o governo determina uma mudança de prioridades como forma de melhorar a popularidade de Temer e garantir capital político para seu sucessor.

No entanto, pode ser que o resultado disso seja oferecer uma “ajuda marginal” a Bolsonaro, cuja plataforma de campanha consiste em defender medidas mais duras nesse sentido.

Para os analistas Silvio Cascione, Christopher Carman, Filipe Gruppelli Carvalho e Djania Savoldi, o benefício pode ser ainda maior se a intervenção falhar.

No entanto, diante de uma impopularidade recorde, como é o caso do governo Temer, há pouco a perder arriscando alto, segundo a avaliação da Eurasia.

Crise nos estados

Para os analistas, o principal aspecto a ser destacado do anúncio de hoje é que os estados brasileiros vão piorar antes de melhorar.

A intervenção anunciada é uma “solução provisória para um problema estrutural”, segundo a Eurasia. Estados como Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio Grande do Norte também estão sofrendo problemas financeiros graves, que têm refletido na aversão dos cidadãos aos políticos.

Para a consultoria, mesmo que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro volte a crescer, ainda vai levar muito tempo para que os estados consigam resolver seus problemas mais graves, como o excesso de gastos com os salários do funcionalismo e aposentadorias de servidores.

Quem quer que seja o novo presidente do Brasil, portanto, terá que lidar com a crise financeira nos estados e encarar a reforma da Previdência, se quiser promover alguma mudança significativa no país, segundo a consultoria.

Fonte: exame.com

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta