Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Garçom não seria um bom prefeito para capital e a Operação Apocalipse foi um fiasco

0

Em entrevista para o programa do Youtube Vai lá Sabido, postada no ultimo sábado (01), Marcelo Reis faz suas considerações sobre a operação que o levou a cadeia. O vereador e diretor de jornalismo da TV Allamanda, Marcelo Reis, afirma que antes da prisão não conhecia nenhum dos integrantes da suposta quadrilha se referindo a Alberto Ferreira Siqueira (Beto Baba), e Fernando Braga Serrão (Fernando da Gata) e que aguarda que o processo acabe em tempo hábil afirmando ser inocente das acusações e pedindo ainda que o MP ou a Polícia demonstre com materialidade a suposta ligação com quadrilha “sou inocente, não conhecia aquelas pessoas antes desta operação e nunca tive qualquer negócio com aquelas pessoas, e não restou provado esta afirmação da Polícia Civil, instituição a qual eu respeito muito, mas que errou ao solicitar minha prisão”

Questionado sobre como foi ter seu nome nas páginas policiais como traficante, haja vista sua vida profissional, principalmente como apresentador do programa Comando Policial, em que sempre abordou assuntos relacionados á homicídios, tráfico, estelionato, roubo, agressões e divulgação de operações policiais. Marcelo foi categórico em dizer que nunca ofendeu, a pessoa, do criminoso ou suspeito que ele mostrava em seu programa, ele apenas mostrava os fatos ocorridos, defende os valores constitucionais e que ficou surpreso ao ter sua residencia invadida por policiais que procuravam por drogas e armas em seu poder.

“se alguém me perguntar porque fui preso, eu não saberei responder a esse questionamento, inclusive ninguém disse até o momento, nem mesmo a polícia, que pediu a minha prisão, o porque que fui preso”. “Eu seria candidato a prefeito de Porto Velho em 2012, tinha grandes chances de sair candidato porque a população da capital aprovou o meu mandato como vereador, mas à época o presidente do meu partido PV, Lindomar Garçom, resolveu sair candidato a prefeito da capital e eu abdiquei desta oportunidade, para ajudá-lo na campanha. Posterior as eleições saíram algumas pesquisas em que eu seria um pretenso candidato a Deputado Estadual eleito com os votos da capital e quando a gente se destaca na política sempre surgem inimigos e isso pode ter interferido na imparcialidade da investigação da PC de Rondônia, dito isso eu só tenho uma convicção, alguém tentou puxar o meu tapete”.

Perguntado se a capital estaria bem encaminhada com Mauro Nazif como prefeito, Marcelo Reis falou “o candidato a prefeito do meu partido foi o Garçom, não quer dizer que seria um bom administrador que Porto Velho precise. Confesso que não tenho muita credibilidade no trabalho administrativo do Garçom, mesmo sendo do meu partido, não tenho. Ele não teria capacidade para gerir Porto Velho que precisa de um gestor realmente preocupado com os problemas da população”.

Indagado pelo apresentador se ele havia comprado votos a cem reais no baixo madeira o vereador, que conseguiu 4537 votos disse não ter comprado votos nem de um real, inclusive solicita que se alguém tem alguma denúncia sobre fato deste tipo que faça ao TRE para as devidas providências. “As pessoas que votaram em mim, votaram porque acreditam em meu trabalho”.

Marcelo acredita que há tempo, três anos, para o prefeito Mauro mostrar o seu serviço e que a Câmara de Vereadores quer caminhar nesse propósito e que tirar o prefeito nesse momento para dar posse ao Danton seria um retrocesso ainda pior para capital.

“Volto esse ano ainda apresentar o Comando Policial com a cabeça erguida porque eu não devo nada para absolutamente ninguém, e sei que a justiça vai me inocentar assim como a Câmara o fez”.

 

Comentários
Carregando