fbpx
Garota desaparecida a 72 dias é encontrada morta em fossa de 20 metros

Suspeita é que corpo foi desenterrado

Um crime macabro foi registrado em Apuracana, no norte do Paraná, na madrugada desta quarta-feira (2). O corpo de uma jovem de 24 anos foi encontrado dentro de um poço com 20 metros de profundidade, localizado atrás de um ferro-velho na Rua João Matiuzzi, no Parque Bela Vista, na zona norte da cidade. A garota foi identificada como Arízia Lemos, “Liza”, e estava desaparecida há 72 dias.

A Polícia Militar (PM), Civil e o Corpo de Bombeiros se mobilizaram para o resgate do corpo da jovem. A rua foi interditada com a chegada de equipes do Instituto Médico Legal (IML) e peritos do Instituto de Criminalística de Londrina.

Por volta de 1 hora, um rapaz com uma carriola e uma faca foi preso em um cafezal próximo ao local, mas a polícia ainda não divulgou mais detalhes. Ele havia saído da cadeia há dois dias, após ser preso por envolvimento com drogas. Segundo investigadores,  a suspeita é que o corpo da jovem teria sido desenterrado de um cafezal e, logo em seguida, queimado por traficantes, antes de jogá-lo na fossa. Ainda, as investigações apontam que o corpo possa ter sido esquartejado.

Usuária de drogas

Conforme a polícia, Liza seria usuária de droga e teria sido morta por traficantes como forma de algum tipo de retaliação.Há suspeita de que na fossa possa haver outro corpo, possivelmente de dependente químico que devia a traficantes.

Mãe desesperada e filho de 2 anos

A mãe de Liza foi na terça-feira (2) à tarde à Décima Sétima Subdivisão (SDP) para tratar com a polícia sobre o desaparecimento da filha e estava desesperada com o sumiço, registrado há 72 dias.

Ela deixou um filho de 2 anos e era dependente química desde os 14 anos. Liza já tinha sido internada várias vezes e em uma ocasião sumiu por 40 dias.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta