Presidente do PSDB é investigado com base em delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes autorizou a prorrogação do inquérito que investiga acusações contra o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves.

De acordo com informações do G1, Aécio é suspeito de participar de esconder dados sobre um esquema chamado de ‘mensalão mineiro’ durante a CPI dos Correios, em 2005.

O inquérito é baseado na delação primiada do ex-senador Delcídio do Amaral. A defesa do senador diz que “as citações [de Delcídio] são absurdas e totalmente descabidas, o que restará comprovado ao final das investigações”.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB) o ex-vice governador de MG Clésio Andrade e Delcídio são alvos do mesmo inquérito.

Na decisão, Mendes diz que foram realizadas coletas de depoimentos autorizados e que Procuradoria Geral da República e a Polícia Federal devem prestar atenção aos prazos de investigações.

“Os autos foram remetidos à Corregedoria-Geral da Polícia Federal para inquirição de três testemunhas, interrogatórios do investigado, além de requisição e juntada de documentação constante dos autos de outras investigações. A remessa dos autos à Corregedoria-Geral da Polícia Federal foi feita em 10.6.2016. (…) As inquirições não foram realizadas ou agendadas. (…) Ficam a Autoridade Policial e o Ministério Público Federal instados a observar os prazos de tramitação, nesta e em todas as investigações supervisionadas por este Relator”, diz o texto.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta