fbpx
Ginecologista é preso em BH suspeito de abusar sexualmente de pacientes

Segundo polícia, ginecologista teria cometido crime contra mulher em hospital de Betim. Delegada diz que há outras denúncias contra ele.

Um ginecologista suspeito de abusar sexualmente das pacientes foi preso nesta quarta-feira (26) em Belo Horizonte. O homem, de 70 anos, foi detido em casa, no bairro Gutierrez, Região Oeste da capital mineira.

Segundo a Polícia Civil, as investigações começaram no ano passado, quando uma mulher prestou queixa contra o médico depois de uma consulta em um hospital particular, em Betim, na Região Metropolitana.

“Logo após a realização do exame preventivo, de câncer no colo do útero, ele aproveitou que a mulher estava na posição ginecológica, com as pernas cobertas por um lençol e manteve uma conjunção carnal com ela ali de repente, sem ela esperar”, contou a delegada Cristiane de Oliveira.

A delegada afirma que há outras duas ocorrências contra o médico, em Betim. Em 2015, ele teria abusado de duas mulheres, uma delas estava grávida e fazia consulta de pré-natal.

Ainda de acordo com a corporação, o médico é concursado da Prefeitura e já chegou a atender pacientes em três postos de saúde na cidade da Grande BH. A Prefeitura afirma que, desde 2015, ele atende em uma única unidade de saúde.

Segundo a delegada, há denúncias contra o médico também em Belo Horizonte e em Nova Lima, na Região Metropolitana. “Já foram registradas ocorrências contra esse médico, com o mesmo teor. Esses procedimentos desnecessários, inadequados. E também nos postos de saúde em que ele trabalha aqui em Betim, existem várias reclamações informais de clientes que não gostaram da forma que ele procedeu na consulta, mas que não registraram o boletim de ocorrência”, disse Cristiane.

As mulheres que sofreram abuso têm entre 30 e 40 anos de idade. A delegada acredita que o suspeito tenha abusado de mais pacientes.

Segundo a policial, o médico nega o crime. Ele foi encaminhado para um presídio.

A Prefeitura de Betim informou que há um processo administrativo contra o médico desde 2014. Disse ainda que, atualmente, ele atendia com a supervisão de uma técnica. A administração municipal afirmou que caso as denúncias contra o suspeito sejam comprovadas ele será demitido do serviço público.

O CRM afirmou que o caso será encaminhado para a corregedoria do órgão. A partir dai é aberta uma sindicância, que pode ou não resultar em um processo contra o profissional. Este processo pode resultar em punições que variam desde advertência confidencial até a cassação do diploma. O médico também pode ser absolvido no processo.

Fonte: g1/bh

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta