Governo de RR afirma que “nenhum dos mortos era da FDN, PCC ou CV”

Mas, os presos escreveram recado no chão com sangue dos rivais

Apesar de recado escrito no chão com sangue dos mortos da Penitenciaria Agrícola de Monte Cristo dizer que a chacina ocorrida nesta sexta em Roraima é parte de uma vingança por conta da briga entre facções criminosas no Norte do País, a secretaria de Justiça e Cidadania de Roraima (sejuc) afirmou que somente integrantes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) ou presos que não se declararam de nenhuma facção estavam na Pamc.

A Sejuc afirmou ainda que em Roraima apenas seis presos são integrantes da Família do Norte (FDN)

A chacina contabilizou 33 presos assassinados de forma bárbara e mais de 30 foram decapitados, tiveram o coração arrancado e ou foram desmembrados.

Segundo o secretário de justiça e cidadania Uziel Castro, o governo de Roraima vinha se precavendo contra as brigas de facção desde outubro do ano passado, quando 10 presos foram assassinados na Pamc.

Mensagem foi escrita com o sangue dos mortos

“Estamos nos precavendo desde muito tempo atrás. Identificamos e isolamos os detentos que se declararam do Comando Vermelho (CV) que foram trasferidos para a Cadeia Pública e identificamos e separamos os do PCC dentro da Penitenciaria Agrícola. Lá só tem gente do PCC e de facção nenhuma. Querem dizer que é vingança, mas nao tem Família do Norte (FDN) nem Comando Vermelho na Penitenciária onde ocorreu a chacina. Acreditamos em divisão interna pois os integrantes do PCC tinham ordens para eliminar os rivais e aproveitaram e mataram os seus inimigos. A barbarie foi muito grande”

O recado escrito no chão da unidade prisional dizia “Sangue se paga com sangue” afirmando que a chacina pode ser resposta dos presos ao ocorrido em Manaus, quando foram mortos 60 presos ligados à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta