Governo define estratégia após denúncia contra Temer

O governo já definiu a estratégia para enfrentar a Procuradoria Geral da República, após o recebimento da denúncia de Rodrigo Janot: apresentar rapidamente a defesa do presidente Michel Temer e promover, tipo vapt-vupt, as votações na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) e no Plenário da Câmara, previstas no regimento.

“Não vamos esperar dez sessões deliberativas”, declarou um senador aliado de Temer ao colunista. Já um dos ministros do governo disse na última segunda-feira que o presidente, a partir de agora, está “pintado para a guerra”.

Quando afirmou ontem que “nada nos destruirá”, Temer se dirigia à “tropa”, ou seja, ministros, deputados e senadores aliados.

Há em Brasília um instinto de “autopreservação”, que, aliás, tem sido uma poderosa “liga” entre Temer e parlamentares aliados, também na mira de Janot.

Primeiras medidas

Uma das primeiras medidas do governo após a denúncia de Janot foi negociar o afastamento da CCJ da Câmara do deputado Major Olimpio (SD-SP), hostil a Michel Temer.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta