Apesar dos cortes no Orçamento de 2016, o governo manteve os recursos para emendas apresentadas por parlamentares

O governo destinou R$ 6,6 bilhões para a compra de votos de deputados e senadores. A manobra foi feita por meio de recursos que serão direcionados a emendas apresentadas por parlamentares. Apesar dos cortes no orçamento, apresentados pelo Ministério do Planejamento em fevereiro, a presidente Dilma Rousseff manteve os recursos para as emendas individuais.

O governo informou em fevereiro que o Orçamento de 2016 será contingenciado em R$ 23,4 bilhões. Os cortes devem tirar R$ 2,4 bilhões da Saúde, R$ 1,2 bilhão dos Transportes, R$ 4,2 bilhões da educação e R$ 2,8 bilhões da Defesa.

Do IG

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta