fbpx
Governo Temer corta 33,2 milhões dos 60 previstos para obras na BR-364, após abaixar o preço do diesel

Para atender à principal demanda dos caminhoneiros de reduzir o preço do óleo diesel, o governo promoveu um corte orçamentário que deve atingir principalmente aqueles que estão na boleia dos veículos Brasil afora. A Medida Provisória que trata do tema promoveu cortes de R$ 371 milhões em 40 obras em rodovias do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Perderão recursos obras em 21 estados e no Distrito Federal. Para bancar a solução da crise que paralisou o país neste mês, a equipe econômica realizou cortes em programas de todas as áreas, incluindo Saúde e Educação. A obra que mais perdeu recurso foi o contorno rodoviário da BR-376 em Maringá (PR), cidade do norte do estado. Serão R$ 45 milhões para levar adiante o empreendimento. No Orçamento de 2018 haviam sido destinados R$ 70 milhões para a obra. Está também no Paraná a segunda obra que mais vai perder. Foram retirados R$ 41,3 milhões de obras para adequação na BR-469 do portal de acesso ao Parque Nacional do Iguaçú, em Foz do Iguaçú, na divisa do Brasil com a Argentina. Para essa obra, a previsão orçamentária para este ano era de R$ 50 milhões.

Em Santa Catarina, foram retirados R$ 40 milhões dos R$ 50 milhões previstos para obras na BR-282 entre Palhoça e São Miguel do Oeste. Em Rondônia, o governo cortou R$ 33,2 milhões dos R$ 60 milhões que tinham sido reservados para obras na BR-364 entre Vilhena e Porto Velho. No Mato Grosso do Sul, serão R$ 32,6 milhões a menos, dos R$ 40 milhões previstos, para obras na BR-262 nos entroncamentos em Rio Verde do Mato Grosso e Aquidauana. Na divisa da Bahia com Minas Gerais, as obras na BR-367 perderão R$ 30 milhões dos R$ 40 milhões que estavam previstos. Foram nove obras que perderam mais de R$ 10 milhões em recursos.

Fonte: oglobo

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta