Gravação mostra que era filho de Lula quem autorizava visitas no sítio de Atibaia

Em conversa telefônica analisada pelo MPF (Ministério Público Federal), Fábio Luís Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, era o responsável por autorizar a entrada de visitantes no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP).

O relato está em uma série de documentos da MPF e da Polícia Federal divulgada nesta quarta-feira (16) pelo juiz Sergio Moro, que conduz em primeira instância a investigação da Operação Lava Jato.

Para o MPF, Fabio Luis era responsável por autorizar a entrada de pessoas no sítio. Isso acontecia até mesmo com Kalil Bittar, irmão do empresário Fernando Bittar que ao menos no papel é dono do sítio.

De acordo com a investigação, “soa bastante estranho” que seja Fabio Luiz o responsável por autorizar a visita do irmão de Fernando Bittar.

Segundo a transcrição do grampo feita pelo MPF, em uma conversa ocorrida no dia 26 de fevereiro, Kalil pede a Fábio autorização para levar alguém ao sítio de Atibaia. No dia seguinte a este, é Fábio quem liga para o caseiro anunciando a chegada de Kalil.

DONO DA CHAVE

Dias antes, Lula questiona um de seus empregados a localização da chave do sítio Santa Bárbara. Lula é avisado de que a chave está com Marcos, que para o MPF é Marcos Cláudio Lula da Silva, filho de Lula. O ex-presidente cobra a chave do sítio, pois gostaria de ir ao local na manhã do dia seguinte. De acordo com o MPF, “tal circunstância, em harmonia com outros elementos colhidos na investigação, dão conta que de fato o sítio é pertencente a Lula, pois a chave não fica com Fernando Bittar e Jonas Suassuna, mas com LULA e seus filhos”.

Por Fabrício Lobel, na Folha

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta