Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Gravações comprovam que ex-secretário de saúde de Cacoal atua com chefe de gabinete em esquemas

0
Uma gravação obtida por PAINEL POLÍTICO mostra que o ex-secretário de saúde de Cacoal, Márcio Welder, que após ter sido exonerado da prefeitura por ter se recusado a pagar uma medição da construção da Unidade de Pronto Atendimento, fez uma série de denúncias contra o prefeito Padre Franco. Entre elas a de que o empresário João Bonilha, proprietário da construtora Esfinge, responsável pela obra, teria pago propina de R$ 190 mil para vencer a licitação. Na ocasião, Welder também afirmou que a chefe de gabinete do prefeito, Maria Ivani e o procurador do município, José Carlos dos Reis teriam feito pressão para que ele pagasse a medição, sendo que José Carlos o teria ameaçado de morte.

As conversas que você vai ouvir mostram que, após a repercussão da denúncia feita por Welder, ele continua mantendo relações próximas (e íntimas) com a chefe de gabinete. O áudio tem pouco mais de 39 minutos e nele é possível ouvir Márcio conversando com vereadores e com o diretor do hospital regional de Cacoal, Marco Aurélio Vasquez que também é diretor da Band no município. Nas conversas, Márcio fala sobre a repercussão negativa que as denúncias tiveram, e que poderiam prejudica-lo no futuro. As conversas são colocadas em viva-voz para que a chefe de gabinete, que está com ele também possa ouvir. Em determinado trecho da conversa (26min59seg), Márcio pergunta a chefe de gabinete “se o prefeito está sabendo” e ela confirma, “sim, ele sabe de tudo”.

O prefeito Padre Franco esteve em Porto Velho e negou todas as acusações feitas por Márcio, e afirmou que sua chefe de gabinete “estava sendo prejudicada”. O prefeito não chegou a ouvir os diálogos entre Maria Ivani e Márcio Welder. Em outra conversa, revelada pela reportagem de RedeTV!, Maria Ivani oferece uma portaria no valor de R$ 5 mil para Márcio, após ele ter sido exonerado da secretaria de saúde para que ele “esfriasse as denúncias”.

CPI

Ano passado a câmara de Cacoal instaurou uma CPI para investigar supostos pagamentos de propina e irregularidades nas obras da UPA, que já está concluída, mas ainda não está em funcionamento pela falta de equipamentos. Os vereadores descobriram que a chefe de gabinete estaria envolvida nas irregularidades, mesmo assim ela continua no cargo. Cacoal já teve 12 secretários de saúde desde que Franco assumiu a prefeitura. Segundo o prefeito, “não é porque ele quer, é porque entre os 12 apenas 2 ou 3 eram boas pessoas”. Ouça a gravação de Márcio e Maria Ivani e acompanhe os diálogos que comprovam a relação de ambos.

Comentários
Carregando