Greve da Unir já dura 80 dias e não tem data para acabar

Professores de Cacoal continuam com a greve sem obterem soluções 

Os professores e técnicos do campi da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) em Cacoal, continuam a paralisação da instituição por tempo indeterminado. Segundo os grevistas, as instituições vem enfrentando problemas como a falta de professores, falta de laboratórios, salas de aula, refeitórios, bebedouros e até papel higiênico.


A greve tem como objetivo a manutenção da Universidade Publica, a paridade salarial de ativos e aposentados, a retirada de projetos do congresso nacional que ferem os direitos dos servidores. A aprovação imediata dos projetos de interesse dos servidores e da isonomia salarial e de todos os benefícios entre os poderes.


Os servidores ainda lutam por outros beneficios, como a incorporação de todas as gratificações produtivistas, pelo fim da terceirização que retira direito dos trabalhadores, e combate a toda forma de privatização; pela aprovação da PEC 555 que extingue a cobrança previdenciária dos aposentados e do PL 4434 que recompõe as perdas salariais.


Segundo os servidores, há também a necessidade de ser estabelecida uma politica salarial permanente, com correção das distorções e reposição das perdas inflacionarias e, na atualidade, eles lutam pelo índice linear de 27,3%.

“Com os cortes orçamentários na área da Educação na ordem de R$ 11,7 bilhões sofrem, na

prática, com a redução de bolsas, paralisação de obras, cortes na pós-graduação, demissão de trabalhadores terceirizados, paralisação de programas e suspensão de novos projetos” afirmam os servidores.

A greve que é nacional começou dia 18 de maio desse ano e já são mais de 34 faculdades espalhadas pelo Brasil onde professores e técnicos aderiram a paralisação em apoio a greve. As negociações estão sendo feitas, mas até agora nada foi resolvido.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário