Senador Gurgacz se compromete com PDT a votar pelo retorno de Dilma

“Entendo que não há crime de responsabilidade fiscal por causa das pedaladas (fiscais), mas a questão é mais pela governabilidade, pelo interesse nacional”, declarou

O senador por Rondônia, Acir Gurgacz assinou um documento junto a seu partido, o PDT, se comprometendo a votar pelo retorno da presidente Dilma Rousseff (PT), previsto para agosto. A informação partiu do presidente da legenda Carlos Lupi que afirmou ao jornal O Globo, ” O Acir vai votar contra (o impeachment), ele mandou por escrito” — disse Lupi.

Gurgagz, que foi o relator das pedaladas fiscais no Senado declarou que, ” o que eu coloquei é que a admissibilidade (do impeachment) era uma necessidade, porque a população estava cobrando a discussão. O mérito é outro momento, estamos avaliando. Entendo que não há crime de responsabilidade fiscal por causa das pedaladas (fiscais), mas a questão é mais pela governabilidade, pelo interesse nacional”.

O Diretório Nacional do PDT expulsou ontem o deputado Giovani Cherini (RS) por ter votado a favor da abertura do processo. Apesar de também terem apoiado o afastamento de Dilma, outros cinco deputados receberam uma punição praticamente simbólica, a suspensão por 40 dias.

Parecer da Comissão de Ética do PDT apontou como agravantes do caso Cherini o fato de ele ter supostamente feito campanha contra a orientação partidária, ter tentado virar outros votos no partido, e ter dado declarações a favor do impeachment.

Foram suspensos os deputados Sérgio Vidigal (ES), Flávia Morais (GO), Mário Heringer (MG), Subtenente Gonzaga (MG) e Hissa Abrahão (AM).

LF_asx

“O fechamento de questão é uma coisa, a decisão sobre quem não cumpriu é outra. É legítima qualquer decisão (do diretório)”, disse Lupi, irritado, ao rebater crítica de um integrante do partido, que defendia a expulsão dos seis deputados, já que o PDT havia fechado questão contra o impeachment.

Acir Gurgacz assegurou a seu partido, segundo o presidente do PDT, Carlos Lupi, que mudará sua posição e votará contra o impeachment desta vez. Por conta disso, o Diretório Nacional do PDT adiou ontem decisão sobre uma punição disciplinar aos senadores do partido. Ainda de acordo com Lupi, o senador Lasier Martins (PDT-RS) pretende manter seu voto favorável ao afastamento de Dilma.

Romário

Outro que já admite a possibilidade de votar pelo retorno da presidente afastada é o senador carioca Romário Faria (PSB).  A virada desses dois votos, caso se concretize e os demais votos se mantivessem, seria suficiente para evitar a cassação definitiva da petista. O Senado abriu o processo de impeachment com o apoio de 55 senadores e, para confirmar essa decisão no julgamento de mérito, são necessários 54 votos.

As informações são do jornal O Globo, a reportagem completa AQUI

 

 

 

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

1 pensou em "Senador Gurgacz se compromete com PDT a votar pelo retorno de Dilma"

  1. Senhores senadores, a questão é a seguinte: O POVO QUER O FIM DO DESGOVERNO DE DILMA E DA ERA PT de desmando, imoralidades, corrupção, incompetência e mais, precisamos salvar o Brasil do projeto de poder do Foro de São cujo objetivo é o quanto pior melhor; vide o que ocorre na Venezuela. Se o que temis é Temer, vamos spoia-lo ou pedir que as forças armadas assumam essa desordem instituída! Estamos de olho e seremos implacáveis com os senadores que votarem contra a vontade soberana do povo; somos 93% dos brasileiros de bem!

Deixe uma resposta