Gurgacz muda de idéia (pela sexta vez) e agora é a favor do impeachment

Relator das pedaladas fiscais, que segundo ele “não foram criminosas”, senador rondoniense agora é contra Dilma

Acir Gurgacz parece que não consegue definir seu posicionamento político de forma clara e objetiva. Pela sexta vez esse ano, ele mudou de ideia e afirma, agora, ser favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.  Em entrevista a uma rádio que pertence a sua família, do interior nesta sexta-feira,  Gurgacz afirmou, “como eu já disse várias vezes, a população não vai se decepcionar comigo jamais. Eu vou sempre estar ao lado da população”.

No contra senso de sua declaração, ele completou, “apesar de estar seguindo a vontade da população de Rondônia, se sente uma situação delicada, pois quando foi o relator das contas da presidente, entendeu que não havia nenhum Crime de Responsabilidade Fiscal. E continuou, “chegar a esse ponto de apoiar a admissibilidade não é uma situação confortável para mim, com certeza. É ruim que isso esteja acontecendo, mas nós temos que assumir nossa responsabilidade de representar o povo de Rondônia”, finalizou o senador.

Acir é secretário de relações internacionais do PDT nacional e presidente do diretório estadual da legenda. O mandato dos senadores, ao contrário dos deputados federais, é majoritário, portanto não pertence à legenda, ou seja, se ele for expulso não perderá o cargo. O problema é que Gurgacz depende do governo federal para garantir uma série de concessões, como transporte e comunicações.

A indecisão do senador e suas constantes mudanças de opinião, já viraram motivo de chacota por parte da população, que olha com desconfiança.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta