fbpx
Holograma de Michael Jackson ofusca apresentações na premiação do Billboard

Desde que a produção do Billboard Music Awards anunciou que o cantor Michael Jackson, morto em 2009, seria representado por um holograma na premiação, todas as atenções se voltaram para o fato. E foi exatamente o que aconteceu na noite de domingo no MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas.

A “presença” do Rei do Pop foi o ponto mais alto da festa e responsável por ofuscar Jennifer Lopez, a homenageada da noite, Claudia Leitte e até Justin Timberlake, que ganhou o maior número de estatuetas no evento, conquistando sete categorias, entre elas, a principal da Billboard.

Em uma mistura de computação gráfica e holograma, o MJ virtual cantou e dançou ao lado de dançarinos — esses de carne e osso — a canção Slave of the rhythm, do disco póstumo Xscape, lançado no último dia 9. A apresentação, ao mesmo tempo emocionante e perturbadora, trouxe o artista com tanta perfeição de volta ao palco que fez com que muitas pessoas da plateia fossem às lágrimas. “O grande foco da noite foi a performance holográfica de Michael Jackson. O restante foi bastante mediano”, comenta o editor do site especializado no mundo pop Que delícia, né gente?, Édipo Barreto.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta