Homem é detido ao falsificar atestado para se afastar do trabalho por 13 dias

Servidor público aproveitou saída de plantonista para usar ficha e carimbo.
Atendido em PS de Franca, suspeito já estava afastado por 11 dias, diz GCM.

Um funcionário público estadual foi detido na madrugada desta segunda-feira (16) suspeito de ter invadido uma sala do Pronto-socorro “Doutor Álvaro Azzuz”, em Franca (SP), para falsificar um atestado médico e estender por mais dois dias seu afastamento do trabalho.

De acordo com a Guarda Civil Municipal, que flagrou o paciente com o documento, o suspeito de 34 anos tinha ido à unidade reclamando de dor de dente. Ele aproveitou a saída do médico da sala para invadir o local, pegar uma ficha e o carimbo do profissional e preencher um atestado para 13 dias de afastamento a partir de 4 de janeiro – data em que havia conseguido um afastamento de 11 dias, dois a mais do que já tinha.

Ele foi ouvido no plantão policial e responderá em liberdade por falsificação de documento.

“Ele foi atendido por outro médico aqui, medicado e tudo. Antes de sair do PS, ele aproveitou que outro médico tinha saído do consultório e falsificou o atestado de próprio punho, ele mesmo que preencheu”, afirma o guarda municipal Artur Teodoro.

Atestado falso

Atendido em outra unidade de saúde em 4 de janeiro, quando um médico concedeu a ele um período de afastamento de 11 dias, o funcionário público foi ao pronto-socorro na madrugada desta segunda-feira alegando estar com dor de dente, segundo a GCM.

Enquanto esperava atendimento, aproveitou que um médico havia deixado uma das salas para atender um paciente e entrou no consultório. No local, de acordo com Teodoro, preencheu um atestado com as mesmas informações do documento original, mas com dois dias a mais no tempo de afastamento: 13 dias.

“Quis prorrogar o atestado só que ele não rasurou o dele, ele fez outro atestado para 13 dias”, confirma o guarda.

Algumas pessoas que estavam no pronto-socorro notaram a movimentação estranha e avisaram o médico, que acionou a GCM a tempo de abordar o suspeito, flagrado com o atestado falso.

“Quando o médico retornou ao consultório alguns populares falaram que ele tinha adentrado o consultório e mexido em algumas coisas. O médico avisou a gente, nós o abordamos e ele negou que tinha mexido em alguma coisa, só falou que foi tomar água. Nós o revistamos e encontramos o atestado no bolso da blusa.”

Fonte: g1.com

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta