Homem que filmou adolescente sendo tatuado na testa já cumpriu pena por roubo

O pedreiro Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, que filmou o tatuador Maycon Reis marcando a testa de um adolescente de 17 anos com a tatuagem “eu sou ladrão e vacilão já cumpriu pena de 5 anos e 4 meses por roubo, em regime semi-aberto.

Segundo a Polícia Civil, a ideia de tatuar o rosto do menino teria se originado pela indignação dos dois por terem flagrado o adolescente tentando furtar uma bicicleta, em São Bernardo do Campo, na sexta-feira (9).

O crime foi cometido por Ronildo no Butantã, na Zona Oeste de São Paulo e condenação promulgada em 22 de novembro de 2008. Naquela ocasião ele e o comparsa Wagner Jesus do Nascimento foram presos em flagrante após roubarem a bolsa de uma mulher “mediante grave ameaça”, levando os cartões bancários, o telefone celular e objetos pessoas de uma mulher.

O rapaz de 17 anos negou que tenha tentado furtar a bicicleta de um deficiente físico, como alegaram Ronildo e Maycon. “Eu estava bêbado, esbarrei na bicicleta e ela caiu”, afirmou.

Na tarde de sábado (10), a juíza Inês Del Cid, da Vara Criminal de São Bernardo do Campo, decretou a prisão preventiva dos dois.

O adolescente tem duas passagens por ato infracional, a primeira em 2012, quando teria entrado em um supermercado para furtar comida. A segunda, em 2017, ele teria entrado em um estabelecimento comercial. Sobre este ato infracional, ele deveria comparecer a uma audiência da Vara da Infância e da Juventude, mas o procedimento jurídico foi adiado por conta do caso.

A tortura teria ocorrido na pensão onde os dois homens alugaram um quarto. Eles foram indiciados pelo crime e alegaram, à polícia civil, que queriam dar uma “punição” ao menino sob a alegação de que ele tentou furtar a bicicleta de um deficiente físico.
De acordo com o boletim de ocorrência, Maycon confirmou à polícia ser “o tatuador que aparece nas imagens que circulam nas redes digitais”. Ronildo afirmou “ser o responsável pela gravação das imagens”.

O ambulante Ademilson de Oliveira, de 31 anos, dono da bicicleta que seria pivô da agressão ao adolescente que teve a testa tatuada em uma pensão em São Bernardo do Campo, condenou a atitude do tatuador e seu comparsa. “Não consegui dormir pensando nisso. fui dormir com medo, meu coração apertado, chorei nessa noite”, afirmou Oliveira, que é deficiente físico e vive de vendas e do dinheiro que pede no semáforo.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta