Homem que matou assaltante no RJ não é russo nem trabalha no consulado

Ele começou uma luta corporal com o assaltante e, durante a luta, a arma do agressor efetuou tiros

Um homem reagiu a uma tentativa de assalto nesta quinta (4), no Rio, e matou o assaltante. Posteriormente, afirmou ser vice-cônsul da Rússia no Estado de Minas Gerais -informação que não é verdadeira- e apresentou uma falsa carteira de identificação do consulado.

De acordo com a polícia, Marcus Cezar Feres Braga estava dirigindo na avenida das Américas, na Barra da Tijuca, na altura do número 6.000, sentido Recreio dos Bandeirantes, quando foi abordado pelo assaltante.

Braga começou uma luta corporal com o assaltante e, durante a luta, a arma do agressor efetuou tiros. O assaltante não resistiu e morreu no local. A identidade dele não foi revelada. A Polícia Civil fez uma perícia no local e diligências estão em andamento.

Na Bahia, adolescentes matam criança de 8 anos em assalto

Na delegacia, Braga se apresentou como advogado e mostrou uma carteira que o identificava como vice-cônsul.

O cônsul-geral da Federação Russa no Rio de Janeiro, Vladimir Tokmakov, negou que Marcus Cezar Feres Braga tenha qualquer vínculo com representações russas no Brasil.

“Este cidadão não tem qualquer vínculo com consulado, embaixada ou qualquer representação russa no país. Inclusive nossas representações só admitem integrantes de nacionalidade russa”, disse à reportagem.

Segundo Tokmakov, a carteira apresentada é falsa.”A Rússia não emite carteiras de identificação de cônsul para ninguém”, disse.

Com informações da Folhapress.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário