Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Ibope revela alta rejeição de Confúcio

0

Pesquisa

Finalmente os dados da pesquisa do Ibope, contratados, registrados e divulgados pela TV Rondônia, apontaram um empate técnico entre os candidatos a governador Expedito Junior (PSDB) e Confúcio Moura. Os números são desastrosos para o atual candidato à reeleição porque revela uma rejeição enorme a Confúcio Moura, o dobro em relação aos concorrentes.

Empate

Embora Expedito Junior (PSDB) e Confúcio Moura (PMDB) estejam tecnicamente empatados, na hipótese de utilizarmos a metodologia do próprio Ibope em relação à margem de erros, três pontos para cima ou para baixo, a situação de Confúcio Moura pode se complicar ainda mais. Com os programas eleitorais gratuitos de rádio e TV os problemas de gestão do governador ficam mais expostos aos olhos de um eleitor e a curva da rejeição poderá piorar.

Insatisfeitos

Os percentuais conferidos aos quatro candidatos opositores à reeleição de Confúcio Moura indicam que num eventual segundo turno, caso o peemedebista consiga se habilitar, o concorrente tenderá a capitalizar os votos dos eleitores insatisfeitos com a gestão do governador. Portanto, em tese, o quadro revelado pela pesquisa é desfavorável momentaneamente à postulação de Confúcio Moura. O alento é que poderia (ou pode) estar pior.

Incompletos

Pela primeira vez nestas eleições o Ibope evitou simular os percentuais dos candidatos num eventual segundo turno. Pode ser que a empresa que contratou tenha optado em não pesquisar esta simulação, mas é esquisito divulgar uma pesquisa quando os dados apontam que as eleições rondonienses devem ser decididas em segundo turno. A pergunta que não quer calar: qual o motivo? Da forma como a pesquisa foi divulgada ficou a sensação de que os dados estão incompletos. Embora a rejeição e os números obtidos por Confúcio Moura sejam extremamente reveladores ao observador mais atento.

Risco

A terceira colocação para a candidata estreante do PR, Jaqueline, irmã do senador Ivo K-Sol, mostra a musculatura política que ainda exibe o irmão junto ao eleitorado rondoniense, em particular do interior. Apesar da condenação no STF do senador à pena de privação de liberdade com o risco de ser recolhido durante as eleições, os percentuais anunciados em favor da candidata são relevantes para quem não possui nenhuma experiência em disputa eleitoral.

Aquém

Na última campanha ao executivo estadual o Partido dos Trabalhadores conseguiu ficar na terceira posição próximo do segundo colocado. Nestas eleições, Padre Ton, candidato da legenda, está aquém dos percentuais exibidos pelos petistas nas eleições de 2010.

Desgaste

É possível que o desgaste das administrações municipais do PT em Rondônia esteja contaminando a campanha do padre Ton. Outro dia, por exemplo, o prefeito de Cacoal, padre Franco, foi obrigado a ser escoltado pela polícia militar até o paço municipal porque corria o risco de ser agredido por populares durante uma manifestação popular. Nos municípios de Jaru e Médici, administrados pelo PT, os prefeitos estão com avaliações horríveis. O partido está esfacelado e a militância anda descrente das pregações dos seus dirigentes.

Humor

Quem acompanha as mídias sociais e os bastidores políticos percebe o mau humor entre os seguidores da ex-senadora Fátima Cleide e os discípulos do padre. Especialmente depois que Ton impôs e bancou na convenção do PT a candidatura de Roberto Sobrinho a deputado federal. Constrangida, Fátima não faz uma defesa sequer do legado deixado por Sobrinho na administração da capital. Quando instada a abordar o assunto não economiza nas críticas.

Endividamento

Uma reportagem publicada anteontem pela Folha de São Paulo mostrando os estados em que os governantes aumentaram o endividamento, comprometendo os parcos recursos orçamentários disponíveis para custeio e investimentos, relaciona Rondônia entre eles. Como a dívida tem uma carência de dois anos para ser quitada a herança maldita ficará na responsabilidade da próximo governador. É o que afirma a reportagem.

Gestão

Outro problema governamental sério e que atravanca o desenvolvimento estadual é a absoluta falta de agilidade nos processos de contratação e execução dos projetos e convênios. Uma parte considerável está atrasada ou parada por falta de gestão.

Gargalo

Dados disponíveis no Tribunal de Contas do Estado comprovam que o Governo de Rondônia atingiu o limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal em gastos com custeio de pessoal. No entanto, a máquina estadual necessita da contratação de novos servidores concursados para destravar os gargalos, mas a limitação legal impede novas contrações. Uma saída seria cortar pela metade a farra de CDS e privilegiar o servidor concursado em postos de confiança. A lealdade funcional deveria ser em torno do ente público e não na pessoa do mandatário de plantão. Para isto existem cargos específicos.

11 de agosto

Nesta segunda os advogados brasileiros comemoram o dia alusivo ao exercício da honrosa profissão. Durante todo o dia a seccional rondoniense reúne seus inscritos para comemorar com muita festa em seu clube na capital. Sendo um deles, não perco o regabofe.

Em tempo: A pesquisa utilizada nesta coluna foi realizada entre os dias 5 e 7 de agosto. Foram entrevistados 812 eleitores em 31 municípios do estado. A margem de erro é de 3%, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RO) sob o protocolo Nº RO- 00025/2014. A Contratante é a Rádio TV do Amazonas Ltda.

Comentários
Carregando