Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Investigadores encontram planilha com nomes de comissionados em computador de Confúcio

0

Planilha em Excell continha nomes de servidores e quem os indicou

Porto Velho – Uma planilha com mais de 800 nomes de servidores comissionados foi encontrada no computador pessoal do governador Confúcio Moura, durante as buscas realizadas em sua residência em dezembro de 2014 em virtude da Operação Platéias. A informação foi confirmada por pelo menos quatro fontes diferentes e foi revelada com exclusividade pela coluna PAINEL POLÍTICO, editada pelo jornalista Alan Alex.

A planilha contém nomes de servidores comissionados, quem os indicou e qual o salário que cada um deles recebia, além de sua lotação. Em 2012, a coluna PAINEL POLÍTICO obteve acesso a essa mesma listagem e encaminhou cópias ao Ministério Público. A relação continha nomes de 800 servidores, e pelo menos 400 haviam sido indicados por parlamentares da época, entre eles Ana da 8 (ex-deputada) e Marcos Donadon (ex-deputado). Os cargos serviriam como moeda de troca por apoio político na Assembleia Legislativa.

A planilha complica a vida do governador, principalmente pelo fato dele não poder alegar desconhecimento em relação a comissionados fantasmas em seu governo, como o caso mais recente, também revelado por PAINEL POLÍTICO da servidora Fabiana de Vito, que estava lotada no DER com CDS 1, que paga pouco mais de R$ 600. Porém, ela tinha um adicional de produtividade de pouco mais de R$ 5 mil. O problema é que a jovem, lotada como Chefe de Equipe mora na Bolívia, onde cursa medicina.

O governador Confúcio Moura foi conduzido coercitivamente à superintendência da Polícia Federal em dezembro de 2014. Ele está sendo investigado por uma série de crimes cometidos durante as eleições de 2010 e durante sua primeira gestão. As denúncias foram feitas por seu ex-secretário adjunto de Saúde, José Batista, preso em 2011 na Operação Termópilas. Segundo Batista, “Confúcio sabe de tudo que acontece no governo”. As investigações continuam, com autorização do Superior Tribunal de Justiça.

Comentários
Carregando