J.K. Rowling é criticada por história sobre índios americanos

Escritora fala da lenda indígena dos ‘skinwalkers’ em novo conto do universo mágico de ‘Harry Potter’ liberado na internet

J.K. Rowling divulgou nesta semana, em seu site Pottermore, novas histórias sobre o universo mágico nos Estados Unidos. Apesar de ter agradado a muita gente, a novidade também irritou alguns, que passaram a acusar a britânica de se apropriar de lendas da cultura indoamericana Navajo para a sua história.

O primeiro conto faz referência a uma lenda dos índios americanos sobre skinwalkers, que seriam humanos malignos que assumiriam a forma de animais. Na história criada por J.K. Rowling, porém, essas pessoas são, na verdade, animagos (termo criado pela escritora em seus livros para designar bruxos que têm a capacidade de se transformar em animais) que usavam seu poder para escapar de perseguições.

No conto, a escritora diz que os rumores que afirmavam que os animagos eram seres malignos foram obra de xamãs que não tinham poderes mágicos e que temiam ser desmascarados por bruxos de verdade. Em seu perfil no Twitter, ela afirmou: “No meu mundo mágico, os skinwalkers não existem”.

A mensagem irritou a escritora americana de origem Cherokee, Adrienne Keene, que respondeu ao tuíte da criadora de Harry Potter. “Não é o ‘seu’ mundo. É o nosso mundo indígena real. Histórias de skinwalkers têm contexto, raízes e realidade. Você não pode simplesmente usar uma tradição de um grupo marginalizado. Isso é colonialismo e apropriação.”

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta