Já são 73 os mortos em terremoto na Itália

As cidades mais atingidas foram Amatrice, Accumoli e Norcia; o centro de Amatrice foi devastado pelo abalo e deixou pessoas presas sob os escombros

O terremoto de magnitude 6,2 que atingiu a região central da Itália na madrugada desta quarta-feira (horário local) matou ao menos 73 pessoas e deixou muitas outras soterradas sob os escombros de prédios que desabaram. O tremor ocorreu às 3h36 (pelo horário local) e foi sentido na maior parte da região central do país, inclusive na capital, Roma.

O prefeito de Amatrice, na província de Rieti, na Itália, confirmou nesta quarta-feira (24) que “metade da cidade” sofreu fortes danos como consequência do forte terremoto que atingiu o centro do país na madrugada desta quarta-feira (24) – horário local. “Metade da cidade já não existe. As pessoas estão sob os escombros”, lamentou Sergio Pirozzi, à emissora privada Sky.

O prefeito confirmou que houve desabamentos de vários edifícios e pontes, o que complica o acesso ao local por parte das equipes de resgate, que tentam ajudar as pessoas que estariam sob os escombros.

Pirozzi fez um apelo às autoridades do país para liberar as ruas o mais rápido possível e poder ajudar as pessoas feridas no terremoto.

“Temos espaço para a chegada de helicópteros de resgate, mas a prioridade é liberar as ruas”, disse o prefeito de Amatrice, observando que a região está sem luz, o que dificulta o trabalho de resgate.

O coordenador da Cruz Vermelha em Amatrice, Giussepe Pignoli, confirmou que na entrada da cidade há uma ponte que desabou, complicando o acesso ao local. “Ativamos o dispositivo de socorro da Cruz Vermelha. Há muitos danos”, disse.

G1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário