Jandira critica Bolsonaro por tê-la impedido de socorrer o filho dele

O ódio e o fascismo dele estão acima do amor ao próprio filho”, disse a candidata e médica

Era o fim do segundo bloco do debate da Band quando o candidato Flávio Bolsonaro disse ao apresentador que não estava se sentido bem devido a uma queda de pressão.

Na sequência, foi amparado pelos dois candidatos ao seu lado: Carlos Roberto Osório (PSDB) e Jandira Feghali (PCdoB).

Esta última chegou a esboçar um primeiro atendimento a Bolsonaro. Jandira é médica, mas, ao tentar ajudar, foi impedida pelo deputado federal Jair Bolsonaro, pai do candidato a prefeito.Foi o estopim para uma troca de acusações e ofensas, que imediatamente se estendeu para as redes sociais.

Jandira voltou a comentar nesta sexta (26) o episódio.

“Eu fiquei assombrada, porque eu já conhecia o seu ódio contra a esquerda. Mas o filho estava passando mal e ele deixou o filho para lá para brigar comigo, a única médica que havia ali. O ódio e o fascismo dele estão acima do amor ao próprio filho”, disse a candidata.

A assessoria de imprensa de Flávio disse que ele não irá falar sobre o caso. Por meio de nota, informou que o candidato teve uma intoxicação alimentar, que “vitimou inclusive um de seus assessores”.

Ele foi atendido em um hospital particular e liberado. O comunicado também agradece os rivais Jandira e Osório “pelos gestos de solidariedade ao socorrê-lo”. Com informações da Folhapress.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta