Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Jesualdo Pires é o “coringa” para o Senado em 2018

0

Prefeito de Ji-Paraná desponta como ‘melhor nome’ para ocupar uma das duas vagas em Brasília

Ele foi deputado estadual e está em seu segundo mandato como prefeito de Ji-Paraná, a segunda maior cidade de Rondônia. Jesualdo Pires Ferreira Junior, nascido em abril de 1959, chegou em Rondônia em 1983, recém formado em engenharia civil. Em 2000 concorreu pela primeira vez a uma eleição a vice-prefeito da cidade e perdeu. Quatro anos depois, mais uma vez concorreu ao cargo e novamente perdeu.

Em 2006 foi eleito deputado estadual com mais de 18 mil votos. Por fim, deixou o cargo de deputado depois de ter sido eleito prefeito de Ji-Paraná, em 2012, com mais de 43 mil votos. Em 2016 foi reeleito com 40.613, mais de 65% de aprovação por parte do eleitorado. E é do alto desses números que Jesualdo Pires deve disputar uma das duas cadeiras no Senado Federal em 2018.

O prefeito, filiado ao PSB, teve sua candidatura “lançada” pelo senador Acir Gurgacz (PDT) durante uma audiência pública em Brasília há cerca de duas semanas. Gurgacz não esconde de ninguém sua preferência, já que Jesualdo atrapalha, e muito, a vida de Valdir Raupp (PMDB) e pode complicar qualquer outro nome que porventura se apresente na disputa.

Gurgacz vê Jesualdo como uma espécie de “coringa”, e vem pressionando o PMDB para fechar uma aliança em torno de seu nome para o governo em 2018. Acir vem “oferecendo” Jesualdo, ele afirma que, se o PMDB fechar com ele, Jesualdo não sai, do contrário, o prefeito de Ji-Paraná viria candidato e complicaria o senador Valdir Raupp, que vai tentar a reeleição.

Em 2018 serão duas vagas e de acordo com sondagens, os nomes preferidos dos eleitores de Rondônia são o de Expedito Júnior (que já foi senador e perdeu o mandato no tapetão para Gurgacz), Jesualdo, Confúcio Moura e Valdir Raupp (não necessariamente nessa ordem). Como Confúcio alega ter firmado compromisso com Raupp, Jesualdo se torna o maior empecilho para a reeleição de Valdir.

Mas o PMDB tem outro problema nessa equação, chamado Maurão de Carvalho, presidente da Assembleia, que aposta todas as suas fichas no apoio irrestrito da legenda em torno de seu nome para governador, e não no de Acir Gurgacz.

Alheio a toda essa discussão, Jesualdo que é paulista, vem dando uma de mineiro, deixando os “caciques” brigarem.

Coringa ou não, Jesualdo, se mantiver sua disposição para as eleições do ano que vem, vai dar muita dor de cabeça a seus adversários.

Comentários
Carregando