Jorge Viana sugere que Lula ‘enfrente’ Sérgio Moro

Uma escuta telefônica, feita com autorização da Justiça e divulgada nesta quarta-feira (16) pelo juiz Sergio Moro, mostra o senador acreano Jorge Viana (PT) em uma conversa com o advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Roberto Teixeira.

Na ligação, o senador propõe estratégias para que Lula enfrente Moro, o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF).

 

As interceptações telefônicas, gravadas pela Polícia Federal, começaram no dia 19 de fevereiro e continuaram até 16 de março. No dia 4 de março, dia em que o ex-presidente Lula prestou depoimento à Polícia Federal – quando foi levado em condução coercitiva – Jorge Viana propôs ao advogado que Lula subisse o tom com o juiz.

A ideia, segundo o senador, era provocar uma possível prisão do ex-presidente por “desacato a autoridade”. Neste caso, Lula passaria a ser um “preso político”. O senador diz ainda que essa seria a única oportunidade que o ex-presidente teria para por fim à perseguição.

“Chamar uma coletiva, dizendo que ele [Lula] não aceita mais que ele [Moro] persiga a família dele, porque ele tá agindo fora da lei. Se ele [Lula] quiser agora vim prendê-lo, que venha. Se ele [Moro] prender, o LULA vira um preso político e vira uma vítima, se não prender, ele também se desmoraliza. Tem que virar o jogo agora (sic)”, diz o senador na ligação que durou pouco mais de sete minutos, segundo documento da PF.

Viana diz que essa estratégia precisa ser feita com urgência. “Porque senão no dia 13 vai ter milhões de pessoas na rua querendo a prisão do Lula. Eu to dando um toque, eu to no andar de baixo andando e é só mais pra vocês refletirem um pouco se puder (sic)”, avisa Viana.

Ainda na ligação, o senador faz críticas à atuação do delegado da Polícia Federal no Acre (PF-AC) Maurício Moscardi. O senador diz que o delegado é um “inimigo do PT” e que já fez uma operação no Acre.

“Esse Moscardi veio aqui no Acre, fez uma operação contra o PT [operação G7], nós denunciamos pro Zé Eduardo Cardoso, entramos com uma representação há seis anos contra esse delegado que pegou o presidente hoje. Ele é um inimigo do PT e tava lá (sic)”, diz Viana.

Após a proposta feita pelo senador do Acre, o advogado do ex-presidente diz que vai repassar a informação. “Perfeito. Eu vou pensar e transferir. Eu vou passar essa informação. Qual é o nome daquele delegado que você falou que já fez problemas aí? Perfeito. MOSCARDI. Tá bom. (sic)”, diz.

Em nota, o senador Jorge Viana, por meio da assessoria de imprensa, fala que o momento é de arbitrariedade e que as garantias estabelecidas pela Constituição foram desrespeitadas com a divulgação de ligações telefônicas.

“Sobre grampos telefônicos, esclarecemos que o senador Jorge Viana vai buscar um posicionamento da Justiça contra todas as ilegalidades cometidas por agentes públicos que deveriam respeitar as leis e a Constituição. Não há nada demais na conversa gravada, o que se questiona é a legalidade da gravação. A crise política e econômica só será vencida pelo diálogo e pelo respeito à lei e à Constituição”, diz a nota.

Com informações do G1/AC

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta