fbpx
Jovem é estuprada por morador de rua que ela havia ajudado com comida horas antes, em SP

Policiais chegaram ao local a tempo de evitar que segundo indivíduo praticasse o mesmo crime, diz capitão da PM

Um morador de rua confessou ter estuprado uma estudante de medicina veterinária de 24 anos depois de invadir a república feminina em que ela mora em Ituverava (SP), de acordo com a Polícia Militar.

A vítima foi atacada enquanto dormia em seu quarto na madrugada de sexta-feira (4) horas depois de ajudar o suspeito e o comparsa dele, ambos andarilhos, com a doação de refeições. A PM informou que chegou ao local momentos antes de um segundo suspeito cometer o abuso sexual.

“Ao passar pela janela o policial inclusive ouviu o cara falando assim: oh, eu acabei, é a sua vez, pode vir”, afirma o capitão Helder Antônio de Paula.
O homem apontado pelo estupro e o outro suspeito foram presos em flagrante e, após serem submetidos a um teste de HIV e prestarem depoimento na delegacia, foram transferidos para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Serra Azul (SP).

A jovem, que está no último ano do curso em Ituverava, estava em choque quando foi resgatada e passou por atendimento médico na Santa Casa, de acordo com a PM.

Segundo o PM, a universitária relatou que, ainda na noite de quinta-feira (3), por volta das 22h, serviu um macarrão instantâneo aos dois moradores de rua, que tinham vindo de Igarapava (SP), depois que eles bateram à porta da república, onde vivem sete estudantes, para pedir comida.

“Perguntaram se tinha comida, as pessoas falaram que não tinha, mas a vítima do estupro saiu, falou para eles: oh, a gente não tem nada para comer, mas se vocês quiserem aguardar, eu preparo alguma coisa para vocês. E aí ela acabou fazendo um macarrão instantâneo para eles, serviu os dois na calçada”, conta Antônio de Paula.

Por volta das 4h de sexta-feira, a dupla voltou e invadiu a casa. Segundo os suspeitos, a intenção inicial era praticar um furto, mas um deles confirmou que decidiu estuprar a mulher que, horas antes, o havia ajudado.

De acordo com o PM, a estudante reagiu, mas o suspeito forçou a relação sexual, ameaçando matá-la com um espeto apontado para o pescoço.

“Durante as agressões que sofria do indivíduo ela falou: não faça isso comigo, eu te alimentei há pouco. E ele pegou e falou: oh, mas é por isso mesmo que eu te quero, eu vim aqui para ficar com você, você é uma menina muito gentil, muito legal.”

A movimentação no quarto da jovem assustou as outras estudantes, que se trancaram nos quartos e avisaram a polícia.

“Ela [uma das estudantes] falava muito baixo, estava preocupada: nós estamos todas em mulheres aqui, é uma república que só tem mulher e nós estamos com medo que eles vão estourar as outras portas para poder acessar onde nós estamos”, descreve o PM, com base no relato de uma das moradoras da república feminina.

Segundo o capitão, policiais militares chegaram à residência rapidamente a tempo de evitar que o segundo suspeito também abusasse da estudante de veterinária.

“Arrombaram a porta da casa, os indivíduos ouviram o barulho, saíram no corredor do quarto para ver o que era, perceberam que era a Polícia Militar, tentaram fugir pelos fundos da casa que estava toda fechada ainda, foram alcançados e detidos.”

G1/SP

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta