Para puni-los por pular catraca, acusado deu choque em meninos e os obrigou a se beijarem

Circulando pelas redes sociais, um vídeo causou revolta ao mostrar dois adolescentes algemados levando choques e sendo forçados a se beijar por um homem que queria puni-los por pular a roleta para andar de ônibus sem pagar. As imagens foram gravadas pelo próprio suspeito, que se apresentou como policial para intimidar os menores. Após o vídeo se tornar viral, Igor Ianni da Silva, 22, foi identificado, prestou depoimento, mas foi liberado porque não houve flagrante. Em função dos abusos, ele poderá ser indiciado por estupro e pegar até dez anos de prisão.

O crime aconteceu em 19 de abril. Três garotos – de 17, 16 e 14 anos – estavam em um ponto de ônibus da BR–381, em Contagem, na região metropolitana, quando foram abordados pelo suspeito, que teria pedido dinheiro, drogas e os celulares dos meninos, antes de ameaçá-los com uma arma e agredi-los com choques. Igor Silva disse, em depoimento, que os meninos pulavam a catraca com frequência e que os viu fazendo o mesmo naquele dia.

A mãe de dois deles contou que todos estão muito abalados, não querem sair de casa, não vão mais à escola e um deles acabou perdendo o emprego que começaria no dia seguinte ao crime porque se recusa a sair de casa.

“Ele foi um covarde e tem que pagar. Em vez de mexer com alguém do tamanho dele, foi abordar criança e jovem e ainda falando que era policial. Mas, mesmo se fosse, nada dá o direito de torturar os outros”, afirmou.

Segundo a mulher, os meninos estavam voltando de um aniversário, quando foram abordados. O homem teria chegado a atingir o mais novo com dois choques antes de o irmão defendê-lo dizendo que teria problemas de saúde. “Ele mentiu para poupar meu outro filho”.
Denúncia. Segundo a Polícia Civil, desde o ano passado denúncias vêm sendo feitas de que uma pessoa estaria se passando por um policial civil, agredindo e roubando a população. “Iniciamos a investigação e recebemos uma foto do suspeito. Logo após sair uma matéria sobre o vídeo, recebemos uma denúncia anônima informando quem era essa pessoa e onde ela morava”, explicou o delegado Renan Gutierrez, da Polícia Civil de Betim.

Silva foi encontrado ontem, em casa, no bairro Marimbá, em Betim. “Fomos convidados pela mãe dele a entrar. Ela nos disse que ele não trabalha e que sai todos os dias. Acreditamos que ele saia para cometer esses crimes”. Na casa, a polícia encontrou um suporte para armas, um aparelho de choque, um distintivo e uma carteira da Polícia Civil. “Acredito que ele tenha algum problema mental. Ele nos atendeu com muita tranquilidade, confessou o crime e nos mostrou todo o material. Nos disse que sabia porque estava sendo preso”, contou o delegado.

Conforme Gutierrez, Silva tem diversas passagens pela polícia, como por falsidade ideológica, estelionato, usurpação de função pública, apropriação indébita e furto. “O flagrante só acontece quando a pessoa está cometendo ou tenha acabado de cometer o crime. Teremos que ouvir as vítimas primeiro e, caso elas o reconheçam, vamos indiciá-lo”.

As informações são do Maringá Alerta

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário