Julgamento do Caso Naiara deve se estender até a meia -noite

Sábado de debates no Júri do Caso Naiara,, defesa e acusação apresentam argumentos

Acusação e defesa iniciaram os debates neste terceiro dia de júri dos acusados dos crimes que levaram a morte a estudante de jornalismo Naiara Karine. No dia anterior foram ouvidas seis testemunhas e os três réus, Richardison Bruno Mamede, Fransciso Plácido e Wagner Strogulski de Souza, interrogatórios que se estenderam até 1h45.

Logo pela manhã desta sábado o juiz pediu aos presentes que se retirassem do plenário para que fosse exibido o vídeo de 24 segundos, extraído do celular da vítima, que demonstra parte da violência sexual sofrida por Karine. O vídeo é a prova da qual a polícia partiu para a identificação dos acusados.

A acusação iniciou destacando detalhes do processo, utilizando como recursos trechos do inquérito, fotos e vídeo, como a sessão de reconhecimento dos acusados por Marco Antônio, réu confesso, já condenado, que acabou apontando os demais participantes do crime. O promotor Elias Chaquian Filho chamou atenção para o comportamento dos acusados durante os interrogatórios, todos emocionados quando falavam dos familiares e das supostas injustiças sofridas ao longo do inquérito. Segundo ele, seriam técnicas descritas em livro para impressionar os jurados.

Os assistentes de acusação alertaram para a credibilidade do depoimento de Marco Antônio, que apesar de algumas contradições, são no conjunto contundentes e comprováveis com uma série de elementos indiscutíveis. Destacaram ainda que fato de ser um réu confesso, que sequer conhecia os demais acusados, não teria motivo para prejudicá-los, já que ele próprio admitiu a culpa. Pontuaram ainda as reais participações de cada um Richardison acusado de estupro e assassinato, Wagner de estupro e Plácido ter concorrido para os dois crimes.

A defesa, ao contrário, se vale justamente das contradições de Marco Antônio para argumentar a descrédito de sua narrativa. Alegou que o delator seria envolvidos com drogas e que na verdade seria o único autor da violência contra Naiara. Além disso contesta as provas produzidas pela polícia civil e federal, sobretudo os laudos que positivam a digital de Richardison no vídeo.

Os debates seguem com réplica e tréplica. Em seguidas os jurados serão conduzidos para a sala secreta onde votarão os quesitos de julgamentos. A previsão é que o júri termine de por volta de meia noite.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta