Justiça manda prender pai de menino deixado em cela de estuprador

A Justiça do Piauí decretou agora há pouco a prisão preventiva dos agricultores Gilmar Francisco Gomes, de 49 anos, e José Ribamar Pereira Lima, de 52. Gilmar deixou, mesmo contrariando a mãe, Sebastiana Rodrigues Gomes, que seu filho de 13 anos dormisse na cela com Ribamar, que é seu compadre e cumpre pena de 18 anos por ter estuprado um adolescente em 2009. O garoto foi encontrado na cela do estuprador às duas da madrugada do domingo passado vestindo apenas um calção.

Na quarta-feira, a Justiça já havia tirado a guarda de quatro filhos menores do casal , atendendo um pedido do Conselho Tutelar, que temia que as crianças fossem aliciadas. No início da tarde de hoje, Gilmar e Sebastiana visitaram as crianças no abrigo, em Teresina. “Eu não queria que meu filho ficasse na cela. Quando cheguei em casa, pensei no que podia ter acontecido com ele e comecei a chorar”, disse Sebastiana.

O delegado Jarbas Lopes de Araújo, que investiga o caso, havia pedido a prisão de Gilmar, Ribamar e Sebastiana, mas a juíza Andrea Parente Lobão Veras, da Comarca de Altos, a 30 quilômetros de Teresina, negou a da mãe por entender que ela não queria que seu filho dormisse na cela com o preso.

A Polícia Civil do Piauí suspeita que Gilmar tenha entregue o filho de 13 ao amigo Ribamar em troca de benesses. Ribamar, que cumpre pena de 18 anos desde 2009 pelo estupro do menor de idade, já vinha dando alimentos à família de Gilmar e até um par de sandália para o garoto. Na madrugada do domingo (1o), o adolescente foi encontrado debaixo da cama da cela de Ribamar, na Casa Penal Colônia Agrícola Major Cesar Oliveira. Na quarta-feira passada, a Vara da Infância e Juventude da Justiça do Piauí tirou a guarda dos cinco filhos de Gilmar e Sebastiana da Silva Rodrigues Gomes e, no dia seguinte, decretou a prisão preventiva dele e de Jarbas Lopes de Araújo, que cumpria pena no regime aberto, acabou voltando para o fechado.

Segundo o inquérito, Gilmar e Sebastiana foram no sábado a convite de Ribamar trabalhar na irrigação da lavoura com dois filhos, um de 13 e outro de 9 anos. Em troca, eles ganharam um prato de comida. Por volta das 16 horas, o mais velho foi dizer à mãe que Ribamar queria que ele dormisse lá. “Pra que, menino?”, questionou Sebastiana, afirmando que ele voltaria com ela. Gilmar interveio e disse “com veemência” que o garoto ficaria lá, já que Ribamar se queixava de solidão. No dia seguinte, ficaram de apanhá-lo. Às duas da madrugada, numa inspeção de rotina, o adolescente foi encontrado por agentes penitenciários na cela de Ribamar, escondido embaixo da cama. “Até agora não consigo imaginar como um pai pôde fazer isso com o próprio filho”, diz o delegado Lima, que conduz o inquérito.

Fonte: veja.com

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta