Justiça nega prisão de dupla suspeita de estuprar e matar adolescente de 13 anos

Justiça do Paraná negou o pedido de prisão de dois suspeitos envolvidos no estupro e morte da adolescente Nicole Sampaio, de 13 anos. O corpo dela foi encontrado na Rua São Valério, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), no dia 30 de novembro de 2014.

Na ocasião, a jovem, que foi estrangulada, estava nua e tinha a sigla de uma organização criminosa escrita nas costas. Após intensas investigações, a Polícia Civil conseguiu identificar os dois suspeitos. Um deles já estava preso e condenado por crimes ao patrimônio.

Com o homicídio elucidado, o delegado Hertel Rehbein, responsável pelo caso, pediu à Justiça a prisão da dupla, para coletar mais provas e concluir o inquérito. “Nós solicitamos à juíza da 1ª Vara do Tribunal do Júri a prisão temporária dos dois, já que o material colhido da vítima está custodiado no IML [Instituto Médico Legal]. Ainda precisamos coletar o material dos autores e realizar o interrogatório, para remeter o inquérito ao Judiciário”, disse Rehbein.

O requerimento, no entanto, foi negado, o que decepcionou os investigadores. “Apesar do nosso pedido ser bastante robusto, a juíza entendeu que ele não procedida e nos negou a prisão. Isso é jogar um balde de água fria no nosso trabalho. Muitos policiais permaneceram semanas a fio nesse caso e conseguiram, inclusive, localizar o veículo usado para transportar Nicole na época”, completou o delegado. Segundo ele, a adolescente foi desovada ainda viva na Rua São Valério e agonizou antes de morrer.

Motivo do crime

De acordo com o delegado, o crime foi motivado por ciúme. “Pelo o que nós levantamos, Nicole namorava um rapaz e tinha um caso com outro homem, que tinha como apelido a sigla da facção criminosa. Justamente por isso, os suspeitos escreveram essas letras nas costas dela com estilete, enquanto a adolescente ainda estava viva. Ela teria usado drogas no dia do crime, com os autores e uma prima, e um deles ficou enciumado devido à suposta traição e, após a ingestão de entorpecentes, se juntou ao outro suspeito para matá-la”.

Enquanto um dos envolvidos está preso por outros crimes, o outro continua em liberdade.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta