Justiça suspende aumento salarial de vereadores de SP

Em Direito & Justiça

Na última terça-feira, por 30 votos a 11, os parlamentares aprovaram um reajuste de 26,3% nos próprios salários

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo suspendeu por meio de liminar o aumento de salários dos vereadores da capital aprovado pelos mesmos na semana passada. A decisão do juiz Alberto Alonso Muñoz tem caráter provisório e atende a uma ação popular ajuizada contra a Câmara Municipal de São Paulo. Cabe recurso.

Na última terça, em uma votação relâmpago, que durou menos de dez minutos, os vereadores reajustaram os próprios vencimentos em 26,3% a partir de 2017. Com isso, o salário passava de 15.031,76 reais para 18.991,68 reais. O juiz determinou que a remuneração fosse mantida em 15.031,76 reais.

Muñoz acatou ao argumento de que o reajuste fere o artigo 21 da Lei de Responsabilidade Fiscal, segundo o qual “também é nulo de pleno direito o ato de que resulte aumento da despesa com pessoal expedido nos 180 dias anteriores ao final do mandato do titular do respectivo Poder”. Em sua decisão, o magistrado ainda afirmou que “o risco na demora é evidente, na medida em que, se o aumento for pago, haverá lesão ao erário, dado o caráter irrepetível da verba”.
Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

Leia também!

Estado tem responsabilidade civil sobre morte de detento por overdose

Em janeiro de 2016, quase 2 mil pessoas estavam presas ilegalmente no Rio

No entanto, a ministra Rosa Weber pediu vista do processo, que ainda não voltou a ser analisado pela corte.

Read More...
Sindicato não pode cobrar honorários advocatícios de sindicalizado

Sindicato precisa de autorização para representar filiado na Justiça, fixa STJ

Os sindicatos precisam de autorização expressa de seus filiados para os representarem junto à Justiça. A jurisprudência do Superior

Read More...
WhatsApp Web lança atualização que afeta layout e GIFs; entenda

Mensagens difamatórias em grupo geram indenização

Rapaz pagará R$ 10 mil a mulher por ofensas. A 8ª câmara de Direito Privado do TJ/SP manteve sentença

Read More...

Deixe uma resposta

Menu slide para smartphones