Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Kazuo Ishiguro ganha Nobel de Literatura 2017

O Academia Sueca, através de uma nota para a imprensa, ainda afirmou: “Os romances do autor são de grande força emocional e descobrem o abismo sobre o nosso sentido ilusório de conexão com o mundo.”

0

O escritor nipo-britânico Kazuo Ishiguro foi o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2017. O anúncio foi feito pela Academia Sueca na manhã desta quinta-feira. Kazuo, de 62 anos, é um romancista conhecido por obras como Não me Abandone Jamais (2005) e Os Vestígios do Dia (1989).

Em sua justificativa, a secretária permanente da Academia Sara Danius explicou: “Ele trabalha com o passado, mas não de uma maneira proustiana. É mais como esquecer para se manter vivo”. Quando questionada se a escolha deste ano era menos controversa, já que no ano passado o prêmio elegeu pela primeira vez um músico pop, Bob Dylan, que o desprezou de maneira até ostensiva, Sara se limitou a defender Ishiguro dizendo que “ele é um grande romancista”.

O Academia Sueca, através de uma nota para a imprensa, ainda afirmou: “Os romances do autor são de grande força emocional e descobrem o abismo sobre o nosso sentido ilusório de conexão com o mundo.”

Kazuo Ishiguro nasceu em Nagasaki, no Japão, em 8 de novembro de 1954, mas se mudou para a Inglaterra com a família, quando tinha apenas 5 anos de idade. O autor só voltaria para a cidade natal quando adulto. Os acontecimentos no local, após a Segunda Guerra Mundial foram temas dos seus dois primeiros romances: A Pale View of Hills (1982) e An Artist of the Floating World (1986).

Formado em inglês e filosofia pela Universidade de Kent, no Reino Unido, Kazuo se dedicou integralmente à escrita desde a publicação da sua primeira obra. Seus trabalhos são marcados por conceitos de memória e tempo. Além de oito livros publicados, já criou roteiros para o cinema, como nos filmes The Gourmet(1984), A Música Mais Triste do Mundo (2003) e A Condessa Branca (2005). Ishiguro ainda contribui nas adaptações dos seus próprios romances nos longas Vestígios do Dia (1993) e Não Me Abandone Jamais (2010).

Depois de ser premiado, em 1989, com o Man Booker Prize, o autor teve mais de 1 milhão de livros vendidos. No Brasil, tem pelo menos cinco obras lançadas pela Companhia das Letras, como O Gigante Enterrado (2015), Não me Abandone Jamais (2016) e Os Vestígios do Dia (2016). O último ainda virou filme em 1993, com Anthony Hopkins e Emma Thompson.

A escolha da Academia Sueca vira a página nas discussões do último ano, em que o cantor Bob Dylan foi o vencedor do Nobel de Literatura. O primeiro músico a ganhar o prêmio, demorou semanas para aceitar a homenagem e não compareceu à cerimônia de entrega.

Fonte: rondoniadinamica

Comentários
Carregando