Léo Moraes alerta sobre nível do rio Madeira e possível enchente

Fatores da natureza ou intervenção humana? Questiona o deputado

O deputado Léo Moraes (PTB) se pronunciou a respeito do aumento do nível do rio Madeira. De acordo com informações da Defesa Civil de Porto Velho, a cota das primeiras semanas de janeiro deste ano é maior que a registrada do início da cheia histórica em 2014, com 12,65 metros.

“Não podemos ignorar que o Rio Madeira, mais uma vez, está com nível acima do normal. Impossível não se lembrar da cheia de quatro anos atrás, que inundou várias regiões da capital, danificou comércios, centros históricos, atingiu comunidades ribeirinhas e deixou centenas de famílias desabrigadas em várias cidades do estado. Viveremos novamente essa situação?”, relatou o deputado.

O parlamentar já realizou diversas reuniões e até audiências públicas com a presença dos melhores especialistas no assunto, que alertaram sobre danos e degradações ambientais e na sociedade, que podem causar por fatores da natureza e também por intervenção humana.

“O que me espanta é ver os diretores da Usina Hidrelétrica Santo Antônio, apenas preocupados com a aprovação do projeto do aumento da cota do lago em 80 centímetros para funcionamento de mais 6 turbinas. Isso é um absurdo.

Os prejuízos enfrentados pelos moradores das regiões comprometidas e alagadas, ainda precisam ser debatidos, tendo em vista que muitas famílias não foram indenizadas. Reafirmo que sou contra a aprovação de qualquer projeto de lei, que prejudique a população. Não podemos aceitar que mais uma vez levem nossas riquezas e nos deixem somente as mazelas”, enfatizou Léo.

De acordo com o sistema de monitoramento da Agência Nacional de Água (ANA), na última sexta-feira o nível do rio Madeira chegou a 13,85 metros. A Defesa Civil alertou que quando o nível chega a 14 metros, faltam apenas 15 centímetros, para que o estado de alerta seja decretado e com esses registros, uma nova enchente não está descartada.

Ainda segundo a DCM, na região do Abunã, o rio Madeira está bem próximo de transbordar e atingir o trecho da BR 364 que liga Rondônia e Acre. Na última quinta-feira (11), o nível do rio estava em 19,95 metros. O aumento do nível tem deixado autoridades rondonienses e acreanas preocupadas e alertas a um possível isolamento semelhante ao registrado em 2014.

“As previsões do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) mostram que chuvas mais volumosas e com maior intensidade podem acontecer no mês de março. Ou seja, a situação pode ficar ainda, pior. Precisamos tomar medidas preventivas e agir em favor da população, evitando assim, que mais famílias fiquem desabrigadas, que cidades atingidas fiquem isoladas e que regiões ribeirinhas sejam destruídas. Não podemos ficar apenas no discurso, é preciso tomar providências com urgência”, concluiu Léo.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário