Líder de partido pró-Brexit, Nigel Farage renuncia ao cargo

O Líder do Partido Independente do Reino Unido (Ukip), Nigel Farage, anunciou nesta segunda-feira (4) sua renúncia ao cargo, argumentando ter alcançado sua maior ambição política com o referendo de 23 de junho, que decidiu pela saída do país da União Europeia (UE). “Eu nunca fui, e nunca quis ser, um político de carreira. Meu objetivo na política era tirar o Reino Unido da União Europeia”, afirmou Farage, um dos maiores defensores do Brexit, em pronunciamento à imprensa. “Agora, eu sinto que o certo é que eu deixe de ser líder do Ukip.”

“Durante a campanha antes do referendo, eu dizia que queria meu país de volta. O que eu estou dizendo hoje é que eu quero minha vida de volta. E ela começa agora”, acrescentou Farage, de 52 anos, membro do partido desde sua criação, em 1993.

O político afirmou que manterá seu assento no Parlamento Europeu, porque quer acompanhar “como um falcão” as negociações com Bruxelas sobre a saída do Reino Unido do bloco econômico.

Farage ainda reiterou que o novo primeiro-ministro do país deve ser um político que defendeu veementemente o Brexit, diferente do premiê David Cameron, que acabou renunciado ao cargo logo após o referendo. O líder do Ukip, porém, recusou-se a apoiar um candidato específico.

A disputa pela liderança do Partido Conservador e, consequentemente, pelo comando do Reino Unido, está entre cinco candidatos: Andrea Leadsom, Theresa May, Michael Gove, Liam Fox e Stephen Crabb. O nome do novo primeiro-ministro deve ser revelado em 9 de setembro.

Essa não é a primeira vez que Farage anuncia sua renúncia como líder do partido. Em maio de 2015, ele disse que deixaria a liderança depois de não ter conseguido um assento no Parlamento britânico nas eleições gerais do ano passado. Ele voltou atrás na decisão três dias mais tarde.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta