Lula, anticristo ou herói nacional? – Professor Nazareno

O Brasil vive hoje uma de suas piores crises políticas. A ultrapassada dicotomia Direita X Esquerda nunca esteve tão ativa entre nós. O ex-metalúrgico da região do ABC paulista, ex-preso político e um dos fundadores do PT, Partido dos Trabalhadores, foi durante mais de três décadas o maior ícone das esquerdas em nosso país. Menino pobre do interior do Nordeste, ele foi apresentado ao Brasil rico, “mas em pouco tempo ficou rico deixando um Brasil pobre”. Presidente da nação por dois mandatos consecutivos, o metalúrgico barbudo insiste em fazer História. O país hoje está dividido mais do que nunca: a Direita lhe caça como a um animal, a Esquerda lhe venera como a um Deus. Acusado de enriquecimento ilícito, prevaricação, corrupção e toda a sorte de desmandos, ele ainda se notabiliza pelas suas frases de efeito que encantam e dão nojo.

“Nunca na História desse país” alguém polarizou a opinião pública nacional de forma tão profunda como ele o faz agora. Muitas de suas pérolas ficarão marcadas como verdades absolutas e inquestionáveis: “No Brasil, pobre quando rouba vai para a cadeia, rico quando rouba vira ministro”, profetizou como se estivesse diante do espelho. Fazendo-se de vítima e se dizendo perseguido politicamente, o “sapo barbudo” enfrentou a Justiça do país da forma mais sorrateira e cínica possível. Tanto é que se ele for preso, vira herói, se o matarem, vira mártir e se o deixarem livre, vira Presidente da República pela terceira vez. Arrogante, prepotente e fazendo pouco caso das leis foi filmado mandando a Justiça e os procuradores enfiarem no “fiofó” o processo contra ele.

Sabe que pode tripudiar das autoridades sem que nada de mais possa lhe acontecer. Amado e endeusado por muitos, recebeu presentes caríssimos: um apartamento luxuoso de mais de um milhão de dólares no Guarujá, litoral de São Paulo, e um sítio em Atibaia estão entre os mimos com que foi presenteado, mas nega tudo e diz que nada disso lhe pertence. Por todo o Brasil, Lula, claro, tem muitos seguidores e desafetos. Em Rondônia, por exemplo, Sérgio Pires, articulista altamente conceituado, parece lhe odiar, assim como Valdemir Caldas, uma espécie de Bob Woodward de Rondônia. Eles não escrevem uma única linha sem alfinetar o ex-mandatário brasileiro. Porém, no outro flanco, tem-se seus admiradores incondicionais. Itamar Ferreira, o Lech Walesa rondoniense, não publica uma só letra sem que não faça comentários elogiosos ao “líder barbudo” e aos “companheiros” e também ao melhor partido político do mundo, o PT.

O ex-presidente se diz tão carismático que até a oposição tucana gosta dele. “Ao requerer a prisão de Lula, os promotores estão banalizando uma providência judicial muito grave” disse o líder do PSDB no Senado, senador Cássio Cunha Lima da Paraíba. O Lula parece ser tão importante para o país que fez até o sisudo Ministério Público de São Paulo confundir Hegel com Engels. Pior, (ou melhor), com o pedido de sua prisão fez pelo menos dezesseis líderes mundiais, dentre eles José Mujica ex-presidente do Uruguai, Felipe Gonzalez, ex-primeiro ministro da Espanha e Massimo D’Alema da Itália, e também muitos outros, assinarem um manifesto em seu favor. Ele disse certa vez: “O Congresso Nacional do Brasil tem pelo menos uns 300 picaretas”. Errou só no número, já que hoje são mais de quinhentos com este título. Será que o “Estado de direito” no Brasil está dando lugar ao “Estado de Direita”? E Lula é anticristo ou herói?

*É Professor em Porto Velho.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário