Luta por moradia ‘não é caso de polícia’, diz Lula sobre Boulos

Ex-presidente usou rede social para se manifestar sobre prisão de líder do MTST, ocorrida durante reintegração de posse de um terreno em São Paulo.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) usou seu perfil oficial no Facebook para se manifestar contra a prisão do líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, ocorrida nesta terça-feira, em São Paulo. “Não é caso de polícia. Toda a solidariedade ao companheiro Guilherme Boulos”, escreveu Lula.

“A luta para que todos tenham direito a uma moradia digna é parte da construção de um Brasil melhor e mais justo. É preciso muito diálogo, investimento em moradia e políticas públicas”, declarou o ex-presidente. Na postagem, Lula usou a hashtag “#LibertemOBoulos”, adotada por internautas que não concordam com a detenção do líder do MTST.

Boulos foi detido por desobediência civil e incitação à violência durante a reintegração de posse em um terreno particular em São Mateus, na Zona Leste de São Paulo. Ele foi levado ao 49º Distrito Policial (São Mateus), onde prestou depoimento e assinou um termo circunstanciado – foi liberado após quase dez horas de detenção. De acordo com o MTST, ao menos 700 famílias moravam no local, conhecido como Ocupação Colonial.

Domínio do Fato

Para prender Boulos, a Policia Civil utilizou, segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a “teoria do domínio do fato”, preceito jurídico que ficou conhecido em 2013 durante o julgamento do Mensalão, sobretudo na condenação do ex-ministro José Dirceu (PT). Na avaliação dos policiais, Boulos pode ser responsabilizado pelas ações de seus comandados por exercer, como líder do MTST, forte influência sobre estes.

News Reporter

Deixe uma resposta