Luta por moradia ‘não é caso de polícia’, diz Lula sobre Boulos

Ex-presidente usou rede social para se manifestar sobre prisão de líder do MTST, ocorrida durante reintegração de posse de um terreno em São Paulo.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) usou seu perfil oficial no Facebook para se manifestar contra a prisão do líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, ocorrida nesta terça-feira, em São Paulo. “Não é caso de polícia. Toda a solidariedade ao companheiro Guilherme Boulos”, escreveu Lula.

“A luta para que todos tenham direito a uma moradia digna é parte da construção de um Brasil melhor e mais justo. É preciso muito diálogo, investimento em moradia e políticas públicas”, declarou o ex-presidente. Na postagem, Lula usou a hashtag “#LibertemOBoulos”, adotada por internautas que não concordam com a detenção do líder do MTST.

Boulos foi detido por desobediência civil e incitação à violência durante a reintegração de posse em um terreno particular em São Mateus, na Zona Leste de São Paulo. Ele foi levado ao 49º Distrito Policial (São Mateus), onde prestou depoimento e assinou um termo circunstanciado – foi liberado após quase dez horas de detenção. De acordo com o MTST, ao menos 700 famílias moravam no local, conhecido como Ocupação Colonial.

Domínio do Fato

Para prender Boulos, a Policia Civil utilizou, segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a “teoria do domínio do fato”, preceito jurídico que ficou conhecido em 2013 durante o julgamento do Mensalão, sobretudo na condenação do ex-ministro José Dirceu (PT). Na avaliação dos policiais, Boulos pode ser responsabilizado pelas ações de seus comandados por exercer, como líder do MTST, forte influência sobre estes.

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta