Mãe é acusada de mandar matar homem que teria estuprado seu filho de 7 anos com cabo de vassoura

Uma mulher foi presa acusada de ser a mandante do assassinato de homem, que teria abusado sexualmente de seu filho. O caso aconteceu no bairro Caximba, em Curitiba. A vítima foi morta com três tiros na nuca e dois nas costas. A mãe da criança, que não teve o nome divulgado, contou que deixou filho aos cuidados de uma vizinha para ir para trabalhar. A mulher era companheira do homem que foi morto suspeito de estuprar a criança.

Quando retornou para a casa, a mulher desconfiou que havia algo errado com o filho. Ao levar o menino para o banho, ele se negou a tirar a roupa e, mais tarde, acordou de madrugada com muita dor e febre. Ele teria sido violentado com um cabo de vassoura.

“Meu filho foi abusado com um cabo de vassoura. Eu sair para trabalhar. Foi a primeira vez que deixei meu filho com alguém. Olhei o corpo e as partes íntimas dele para ver se tinha alguma marca. Entreguei o meu filho intacto. Essa vizinha era uma pessoa de confiança que já cuidava de crianças da vila. Ela era mulher do homem que foi morto. Quando tirei a roupa dele para dar bando ele disse “Não, mãe. Não tira não”, notei que alguma coisa estava errada e, durante a madrugada, acordou gritando com dor e febre”, contou a mulher.

Dias após o crime, o suspeito de ter estuprado a criança foi assassinado a tiros.

A mãe da criança é suspeita de encomendar a morte do homem. Entretanto, ela nega a acusação.

Ela afirma que a comunidade teria se revoltado com o crime e assassinado o suspeito. “Não tenho envolvimento nesse crime. As minhas mãos estão limpas graças a Deus “, disse a mulher na delegacia, acrescentando que não acredita que foi justo o que fizeram com o homem, mas confessou que o que ele fez contra o seu filho não tem perdão

Da redação com informações de Em Tempo

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário