fbpx
Marcelo Bessa pode voltar a SESDEC

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Articulação

Embora não tenha amealhado a quantidade de votos que esperava para se tornar o deputado estadual mais votado das últimas eleições, Maurão de Carvalho conseguiu mais um mandato com folga. Inicialmente candidato a governador, rejeitado na convenção do PP, decidiu por uma reeleição tranquila. Nos últimos dias, Maurão articula nos bastidores a própria eleição à presidência da Assembleia Legislativa, com o atual presidente de vice.

Maldição

As votações para a escolha da presidência do Poder Legislativo sempre foram permeadas de um obscurantismo e de comentários nada republicanos. Há quem diga que é um cargo amaldiçoado que sepulta reputações e, não raro, leva o mandatário ao calabouço. Não há um ex-presidente das últimas cinco legislaturas que não esteja encalacrado com problemas jurídicos: dois ex-presidentes trancafiados, um foragido e outro aguardando ser recolhido. Em geral é um cargo extremamente cobiçado pelos deputados estaduais veteranos, em particular pelo evangélico Maurão.

Extremos

Enquanto no Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE) o candidato ao Governo, Expedito Junior (PSDB), conseguiu o registro da candidatura por uma votação apertadíssima, o candidato ao Senado, Rubens Moreira Mendes (PSD), obteve o deferimento por unanimidade. Já o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou a elegibilidade do tucano por unanimidade e cassou o registro concedido pelo TRE-RO ao candidato do PSD por igual placar.

Estrago

Apesar de juridicamente habilitado para concorrer às eleições, a pecha de ficha suja fez um estrago enorme à campanha de Expedito Junior e foi um dos fatores da derrota. Uma mácula explorada à exaustão pelo concorrente e por apaniguados, especialmente nas redes sociais.

Repasto

A confraternização de final de ano promovida pelo senador Valdir Raupp (PMDB) com os profissionais da imprensa estadual está marcada para acontecer no próximo dia 28, provavelmente nas dependências do Hotel Aquarius. Este é o 16º ano seguido que o senador reúne os jornalistas para o tradicional regabofe. Em uma longa conversa com este cabeça-chata o senador desenhou cenários políticos e contou alguns bastidores das eleições que renderão boas futuras colunas.

Voando alto

Deputado federal eleito e pessoa da estrita confiança do governador Confúcio Moura, Lúcio Mosquini (PMDB) avisou à coluna que não indicará ninguém para o primeiro escalão do governo e não pretende trocar o Congresso Nacional por uma Secretaria de Estado em Rondônia. Mesmo negando, dificilmente Mosquini deixará de influir na composição da nova equipe de Moura. Ademais, trata-se de um político que sonha com voos mais ambiciosos.

Revigorado

Uma derrota eleitoral causa estresse a qualquer político e reflete sensivelmente no ânimo político por algum tempo até que a perda seja assimilada. Ao que parece esta máxima não se aplica ao ex-candidato a governador pelo PSDB, Expedito Junior. Após uns dias de merecido descanso, o tucano viajou a Brasília para o primeiro compromisso partidário, após as eleições. Esta semana percorre vários municípios concedendo entrevistas à mídia estadual. Junior adiantou que está revigorado e mais experiente para os embates futuros que lhe aguardam. Avisou que fará uma oposição responsável, porém atento às promessas feitas durante o pleito. Sozinho, enfrentou com bravura todos os grupos políticos e empresariais numa campanha desigual.

Narcotráfico

É impressionante a quantidade de entorpecentes que todos os dias estão sendo apreendidos em Rondônia. São volumes absurdamente enormes o que indica que voltamos a ser um importante corredor de passagem de drogas e um mercado consumidor em ascensão. Dois meses atrás, na zona portuária da capital, a polícia recolheu quase uma tonelada de cocaína escondida entre toras de madeiras destinadas ao mercado europeu. O curioso é que é pequeno o número de presos que são identificados como responsáveis pelo tráfico de entorpecentes por estas bandas, embora as apreensões sejam diárias.

Rentabilidade

As cooperativas de créditos em Rondônia viraram um negócio da China diante da boa rentabilidade nos últimos anos. Durante a campanha eleitoral, por exemplo, era grande o número de candidatos que optaram em operar nessas instituições ao invés das agências bancárias tradicionais. Empresários também aderiram aos serviços prestados pelas cooperativas. Nada melhor do que um serviço a base da cooperação.

Pelego

O resultado das eleições do Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sintero) revela a exaustão dos associados com as mesmas pessoas e os grupos políticos que dirigem a entidade anos consecutivos. O professor Francisco Xavier, candidato de oposição,  enfrentou uma máquina sindical aparelhada por partidos políticos e com o reforço das estruturas de governo estadual e municipal. Pouco mais de cem votos (mais de dez mil associados foram as urnas) separaram as duas chapas que disputaram o sindicato. O empenho da máquina governamental nesta disputa é a retribuição do apoio dado pelos dirigentes do Sintero na campanha de reeleição do atual governador. O resultado prova que Xavier não pregou no deserto e se credenciou para antagonizar com os pelegos.

Fotografia

Ainda bem que o competentíssimo magistrado federal Dimis Braga fez pessoalmente uma inspeção ao conjunto do que resta do acervo da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, antes de decidir os pedidos requeridos pela OAB-RO. Seis meses após a grande cheia a situação calamitosa continua a mesma e o acervo em total abandono. Quem visita o complexo da  EFMM constata um retrato branco e preto do que é a administração municipal de Mauro Nazif.

Oportunismo

Depois que o Justiça Federal resolveu inspecionar o abandono da Estrada de Ferro Madeira Mamoré o Governo do Estado envia release a imprensa reivindicando que a prefeitura da capital repasse para o estado a responsabilidade pelo complexo. Oportunismo puro e desavergonhado porque em momento algum o setor de turismo ou cultura estadual procurou a municipalidade para estabelecer alguma cooperação visando resguardar o principal símbolo do patrimônio histórico rondoniense. Aliás, a ação intentada pela OAB-RO consta também no polo passivo o Governo de Rondônia.

Confidências

No final de semana encontrei o jornalista Roberto Kuppê numa conversa animada com o delegado federal Marcelo Bessa, ambos ainda comemorando a reeleição do atual mandatário estadual. Bessa revelou à coluna que aguarda a remoção para a Polícia Federal de Rondônia e que ainda não sabe se retorna ao cargo de Secretário de Segurança Pública. Kuppê informou que está escrevendo um livro sobre os bastidores da política local e com relatos da própria vida. O jornalista promete revelações bombásticas.  A conferir!

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta