Massacre em Roraima também foi “acidente”, presidente?

Nesta madrugada foram massacrados 33 apenados em Roraima

Brasília – O presidente Michel Temer, que classificou o massacre de 56 presos em uma penitenciária em Manaus esta semana como um “acidente pavoroso”, vai ter que arrumar outra explicação para o ocorrido esta madrugada em Roraima, onde 33 presos foram esquartejados e decaptados. E todo mundo sabia que isso iria acontecer.

Na terça-feira os serviços de segurança alertaram os estados de Roraima e Rondônia para a possibilidade de massacre nas unidades prisionais desses estados, em função deles abrigarem membros das facções criminosas PCC e FDN, que estão em guerra declarada. Falta Rondônia, o que não deve demorar.

Isso não é “acidente”. Isso se chama omissão. As forças de segurança sabem quem são os líderes e já deveriam ter transferido esses presos. São mais indenizações a serem pagas pelos estados, são mais vidas humanas, que certas ou erradas são vidas, que se perdem graças a irresponsabilidade estatal.

O Brasil caminha a passos largos para um caminho sem volta, o de ser reconhecido internacionalmente como um local extremamente perigoso. Pior que a fama é a falta de confiança de turistas e principalmente do mercado.

Difícil recuperar uma economia com tantas manchetes sangrentas…e pior, com um estado impotente.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário