fbpx
Médica é presa após atropelar e matar ambulante em Cuiabá; ela estava embriagada e fugiu sem prestar socorro

Advogado de defesa pediu prisão domiciliar alegando que a médica tem um filho de 1 ano, mas o pedido foi negado. Vendedor ambulante foi atropelado enquanto empurrava carrinho em avenida de Cuiabá

A médica dermatologista Letícia Bortolini, de 37 anos, que foi detida suspeita de ter atropelado e matado um vendedor ambulante na noite desse sábado (14) na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá, teve a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva.

A defesa da médica não quis se manifestar sobre o caso.

Letícia passou por audiência de custódia na Nova Vara Criminal na tarde deste domingo (15). A juíza plantonista, Renata do Carmo Evaristo Parreira, converteu a prisão e determinou que a médica seja colocada em uma cela especial, pelo fato de ter ensino superior.

Ela deve ser encaminhada para ao Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

Letícia dirigia o carro na companhia do marido, que também é médico, quando atropelou Francisco Lúcio Maia, de 48 anos.

Francisco empurrava um carrinho de verdura para o canteiro da avenida quando foi atingido pelo automóvel. Letícia e o marido não prestaram socorro e fugiram do local. Ela foi detida momentos depois em um condomínio porque uma testemunha seguiu o carro do casal.

Durante a audiência, o Ministério Público Estadual (MPE) pediu a prisão preventiva para que Letícia responda por homicídio doloso (quando há intenção de matar ou a pessoa assume o risco de fazer isso), omissão de socorro e embriaguez ao volante.

A embriaguez foi atestada por policiais militares, mas a médica se recusou a fazer o teste do bafômetro. Para o MP, a situação foi agravada pelo fato dela ser médica e ter feito um juramento de salvar vidas.

O advogado da médica, Geovane Santin, pediu a conversão da prisão preventiva para domiciliar, já que Letícia tem um filho de 1 ano. A juíza negou e disse que o titular da vara responsável é quem deve definir.

Uma testemunha relatou, durante a audiência de custódia, que Francisco foi atropelado e arremessado contra uma árvore no canteiro. A testemunha afirmou à juíza que o veículo da médica estava em alta velocidade e não freou ao atropelar a vítima.

A magistrada determinou que Letícia seja colocada em cela separada das demais presas, já que ela possui nível superior.

Francisco Lúcio Maia, de 48 anos, morreu na Avenida Miguel Sutil, em Cuiabá (Foto: Arquivo pessoal)

Francisco

Francisco terminava de atravessar a avenida e tentava subir com o carrinho no canteiro quando foi atingido pelo carro em que os médicos estavam. Segundo a família dele, Francisco morava com um irmão.

Pelo horário do acidente e pelo caminho, os familiares acreditam que o vendedor estava voltando para casa quando foi atropelado. Ele tinha um ponto fixo onde comercializava os produtos no Bairro Cidade Alta, em Cuiabá.

O velório de Francisco deve começar às 20h e será sepultado às 16h de segunda-feira (16).

G1/MT

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta