Médica que se recusou a atender bebê no Rio é indiciada por homicídio doloso

A médica Haydee Marques da Silva, que se recusou a atender o bebê Breno Rodrigues Duarte da Silva na Zona Norte do Rio, foi indiciada nesta segunda-feira (3) por homicídio doloso.

Segundo a delegada Isabelle Conti, da 16ª DP (Barra da Tijuca), responsável pelo caso, não foi pedida a prisão preventiva da médica. Agora, cabe ao Ministério Público apresentar a denúncia à Justiça.

Em 12 de junho, a médica Haydee disse que não tinha responsabilidade na morte do bebê Breno e que ele não corria risco de vida. De acordo com o relato da médica, a técnica em enfermagem teria informado que o quadro era de uma gastroenteirite de uma criança de um ano com neuropatia.

“Estou triste e muito abalada pela criança ter morrido, mas não estou arrependida porque não fiz nada de errado do código de conduta médica. Eu pedi outra unidade, com pediatra para atendê-lo. Não sou pediatra, não sou neurologista, pedi à outra unidade de ambulância para atender esta criança. Disseram que a unidade estava indo”, disse a médica.

As câmeras de segurança do condomínio onde a criança morava mostraram, na ocasião, que a ambulância da empresa Cuidar, terceirizada, chegou ao local às 9h10. Mas a médica que aparece gesticulando e rasgando papéis sequer desceu do carro. O veículo foi embora três minutos depois, sem atender o menino. A criança morreu às 10h26, antes que a segunda ambulância chegasse ao endereço.

Haydée possui ainda uma anotação criminal por agredir uma paciente, em 2010. O Conselho Regional de Medicina disse também que a médica já sofreu uma sanção técnica, mas não explicou exatamente qual foi a punição e nem por qual caso.

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário