Tecnologia

Menino de 11 anos hackeia urso de pelúcia para mostrar como objetos conectados podem ser uma ameaça

Menino de 11 anos hackeia urso de pelúcia para mostrar como objetos conectados podem ser uma ameaça

Reuben Paul, um menino de 11 anos chocou uma plateia de experts em segurança digital na última terça-feira, 16, ao hackear os dispositivos bluetooth deles para manipular um ursinho de pelúcia. O teste foi feito para mostrar como brinquedos ‘smart’ podem virar armas.

O menino mora em Austin, Texas, e está no 6º ano da escola, mas surpreendeu pelo conhecimento em programação. “De aviões a automóveis, de smartphones até casas inteligentes, qualquer coisa ou qualquer brinquedo pode ser parte da Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês)”, disse ele no The Hague World Forum. “Qualquer coisa ou qualquer brinquedo pode virar uma arma”.

Para demonstrar, ele conectou seu notebook num pequeno computador, chamado Raspberry Pi, escaneou o local para procurar dispositivos com bluetooth ativado e baixou dezenas de números de celulares da plateia.

Depois, usando um software de programação, ele hackeou o urso por meio de um dos celulares da plateia e fez com que acendesse as luzes na pelúcia, e ainda fez o urso falar uma mensagem para a plateia.

“A maioria das coisas conectadas a internet tem tecnologia Bluetooth… Eu basicamente mostrei como eu conectaria isso, e mandei comandos para ele, apenas gravando um áudio e apertando a luz”, disse Reuben a AFP. “A IoT pode ser usada todos os dias nas nossas vidas, nos carros, em geladeiras, em tudo o que é conectado e também pode ser usado como armas para nos espionar e nos prejudicar”, completou.

Fonte: emais.estadao.com
Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Next article Delator revela propina de R$ 50 milhões a conselheiros do TCE de Mato Grosso
Previous article Militares devem ter idade mínima para aposentadoria, diz ministro da Defesa

Related posts

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Você pode ser o primeiro a comentar esta postagem postar comentário!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta