Mesário consegue alterar dados de urnas eletrônicas

O especialista em falhas em urnas eletrônicas Diego Aranha fez uma revelação sobre equipamentos. Ele disse que o próprio mesário pode alterar facilmente os resultados de uma urna eletrônica durante as eleições.

“Durante os testes de 2016, ficou demonstrado que uma vulnerabilidade no software permite a um mesário malicioso fraudar os resultados coletados no Boletim de Urna enviado para transmissão após provocar uma contingência”, explicou, conforme publicado no site Bahia Notícias.

Traduzindo, o mesário pode sumular uma defeito na máquina para conseguir acionar o Sistema de Apuração, permitindo assim a digitação manual dos dados do Boletim de Urna. A fraude aconteceria nesse momento, já que o sistema não verifica a adulteração dos dados.

“Minha equipe conseguiu recuperar a lista ordenada dos votos em eleições simuladas com até 475 eleitores a partir unicamente de informação pública, com impacto potencial até em eleições passadas. De posse da lista ordenada de eleitores, é possível determinar com certeza matemática as escolhas de cada eleitor. Essa vulnerabilidade permite ainda determinar com exatidão a escolha de alguns eleitores ilustres que votaram em instantes de tempo específico”, disse o especialista Aranha.

“Todas as urnas eletrônicas do país compartilham segredo que protege os seus dados mais críticos e esta chave está ainda disponível na porção desprotegida dos cartões de memória”, destaca outra fragilidade.

O Brasil utiliza o sistema eletrônico de votação desde 1996.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário