Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Milionária que atropelou 11 pessoas e matou cinco na calçada sorri na delegacia

Após acidente, seguranças impediram linchamento da ucraniana

0

Pedestres que viram a cena, aterrorizados, acreditavam que se tratava de um atentado. Não era. Filha de Vasily Zaitsev, conhecido milionário ucraniano, Alyona Zaitseva, de 20 anos, atropelou onze pessoas, matando cinco delas. Conduzindo em alta velocidade um Lexus preto, modelo SUV, ela passou o sinal vermelho em um cruzamento do centro de Kharkiv,  no norte da Ucrânia, bateu em outro carro e perdeu o controle. O veículo subiu na calçada e acabou atropelando um grupo de pessoas. Além das mortes, seis vítimas ficaram feridas, três em estado grave. Fria, a moça não mostrou remorso ao ser detida: na delegacia, logo após o acidente, ela sorriu diante das câmeras, causando revolta no país, chocado com a tragédia

Segundo os jornais locais, ela tinha certeza de que sairia livre após o episódio. Acabou às lágrimas na cela. Foi quando percebeu que seu pai, figura influente na Ucrânia, não conseguiu evitar que ela fosse para a cadeia. Autoridades informaram que Alyona não revelou sinais de embriaguez

Mas a ucraniana estava dirigindo a quase 100 km/h (duas vezes o limite permitido naquele cruzamento em Kharkiv, cidade de 1,5 milhão de habitantes)

Antes de subir na calçada, ela bateu num VW Touareg, que vinha em outra direção.

O Touareg seguia normalmente depois de passar por um sinal verde e ficou amassado na colisão com o Lexus de Alyona. A ucraniana não sofreu ferimentos, embora o carro tenha ficado destruído.

Alyona tinha três multas por excesso de velocidade, declarou a polícia

Nessas imagens, gravadas pelas TVs do país, a filha do milionário surge sorrindo e conversando calmamente com policiais. Uma hora antes, ela havia matado cinco pessoas.

O local da tragédia, que ocorreu por volta das 20h45 da última quarta (18), ficou parecido, de acordo com a polícia, com “uma zona de guerra”. Testemunhas relataram que o carro de Alyona ultrapassou o semáforo vermelho. Depois de furar o farol, o Lexus bateu no outro carro, avançou sobre a calçada e atingiu 11 pessoas.

Dois jipes com seguranças escoltavam o carro dela antes do acidente. Os homens estavam armados e conseguiram proteger a mulher de populares, que gritavam e, revoltados, queriam linchá-la. Dois seguranças ameaçaram abrir fogo contra eles.

Até que a polícia apareceu e os prendeu. Alyona, uma estudante de sociologia, também foi detida.

Esse é o momento que antecede a batida, captado por câmeras de segurança. O carro conduzido por Alyona subira na calçada. Onze pedestres que aguardavam para atravessar a rua foram atropelados, Cinco morreram na hora — umas das vítimas é uma garota de 15 anos. Entre os seis feridos, há uma mulher grávida de sete meses, Zhanna Vlasenko, de 30 anos, internada em estado grave. O bebê sobreviveu, disseram os médicos.

Levada à delegacia, ela foi vista conversando com o policial, sorrindo várias vezes. Segundo o oficial, ela alegou que perdeu o controle da direção e não viu o farol vermelho. “Não parecia muito preocupada com o que tinha acontecido. Disse que era filha de um milionário”, declarou um guarda.

Alyona é herdeira da fortuna do empresário do petróleo Vasily Zaitsev.

O empresário declarou que o acidente foi “uma fatalidade”, mas não expressou preocupação com a tragédia nem lembrou da vítimas — o que provocou onda de indignação das redes sociais. Zaitsev avisou que o carro que a filha dirigia pertencia a ele.

E afirmou ao site ucraniano de notícias Kharkiv Today: “Nossa família está sofrendo com o que aconteceu. Milha filha dirige há pelo menos dois anos. Nunca cometeu nenhuma infração. Ela estava sóbria e levava uma amiga no carro”.

A família dela ofereceu cerca de R$ 4 milhões a cada vítima atingida em troca da liberdade de Alyona.

Usuários nas redes sociais ucranianas lembraram que o empresário é conhecido por corromper autoridades do país, incluindo magistrados e policiais. “Ele é um dos maiores corruptos do país. Certamente vai tentar livrar a filha da prisão em algum momento”, foi um dos comentários mais comuns sobre a tragédia.

“Não conseguimos conversar, já que a minha filha foi levada diretamente para uma prisão. Nunca cometeu crime”, afirmou o empresário. A prisão dela foi decretada por três dias, mas pode ser estendida. Se for condenada, pode pegar até dez anos de cadeia, calculou o Kharkiv Today.

“Sei que minha filha está em estado de choque”, informou ele. “Foi o que me contaram”, emendou, apesar de as imagens mostrarem a atropeladora aparentemente serena.

Ele também culpou o VW Touareg pelo acidente. Zaitsev ainda completou com esta declaração: “Não se sabe ainda o que causou o acidente em que a minha filha estava envolvida. Não se pode fazer julgamentos apressados, como estão ocorrendo nas redes sociais”.

Após ser chamada de “sorriso assassino”, a ucraniana chorou diante das câmeras mais uma vez e repetiu que não teve culpa pelo ocorrido.

Ela negou mais uma vez ter passado pelo sinal vermelho. Anton Gereshchenko, do Ministério do Interior da Ucrânia, disse que testemunhas viram vítimas “voando” após serem atingidas pelo carro da ucraniana. Lembrou que o governo e o judiciário do país estão apurando o caso e garantiu que a mulher, se considerada culpada nos tribunais, cumprirá a punição “como qualquer cidadão”.

No depoimento que prestou na delegacia, chegou a culpar o Toureg pelo acidente. O motorista desse carro teve ferimentos leves . “Ele me fechou. Por isso bati no carro dele e acabei subindo na calçada”, foi a explicação que ela deu . Testemunhas que viram o acidente deram depoimentos bem diferentes: disseram que a mulher realmente furou o sinal, em alta velocidade, até subir na calçada e atropelar as vítimas que aguardavam para atravessar a rua.

“Minha filha está há 24 horas sem comer”, reclamou o pai dela para a imprensa local.

Enquanto Alyona espera na prisão por um habeas corpus obtido por seus advogados, outras testemunhas falaram assustadas sobre o acidente. “Essa mulher simplesmente esmagou inocentes”, disse Anna, vendedoras de flores ao canal de TV 112.International . Alexandra, que também passava pelo local, afirmou que “o carro estava correndo muito mais que outros veículos que passavam pelo local”.  E acrescentou: “Passo naquele local todos os dias, vindo do trabalho. Aquelas pessoas provavelmente estavam voltando do serviço. Eu poderia ter sido uma das vítimas”. “Foi uma carnificina, um massacre”, testemunhou outra pessoa ao canal de TV.

Emissoras ucranianas mostraram as vítimas do acidente. Alexander Evteev, 27, à direita, morreu no acidente. Ele aparece aqui ao lado de sua mulher, Oksana Berchenko (ao centro), 27, que acabou ferida. Sua irmã Diana, 20, ficou gravemente ferida. Alexander e Oksana se casaram em 2016.

Diana Berchenko, irmã de Oksana, continua internada em estado grave. Enterros das vítimas emocionaram o país no último final de semana.

Comentários
Carregando