Ministério Público vai adotar “horários alternativos” para promotores assistirem jogos da seleção

Em caso de classificação, os horários seguem “flexíveis”

O Ministério Público de Rondônia decidiu que seus servidores precisam assistir aos jogos da seleção brasileira na Copa do Mundo e para isso adotou um regime de horário alternativo. Na primeira fase do campeonato, nem pense em precisar do MPE, por exemplo, a partir das 12 horas do dia 22 de junho, vão estar assistindo o jogo.

O mesmo vale para a quarta-feira, 27, quando você não poderá contar com a instituição entre as 7 e 13 horas.

E caso a Seleção se classifique, o expediente será das 13 às 18 nos dias úteis em que os jogos ocorrerem às 10 da manhã e das 7 às 13 nos dias de jogos às 14 horas.

Enquanto isso, Confúcio Moura, Emerson Castro e companhia seguem a vida… E os ribeirinhos que deveriam ter recebido casa nos terrenos desapropriados pelo governo a um preço assustadoramente mais alto que os praticados no mercado, seguem em barracas da Defesa Civil, e quem foi “desapropriado”, creio, vai ver os jogos ‘in loco’.

Mas, quem sabe depois da Copa…

Abaixo, a nota do MPE informando sobre os horários alternativos

MP divulga horário de expediente para dias de jogos do Brasil na Copa

O Ministério Público de Rondônia publicou a Portaria nº 595/PGJ, que institui o horário de expediente nas unidades da Instituição, localizadas na capital e interior do Estado, em dias de jogos da seleção brasileira na Copa do Mundo de Futebol.

Nos dias úteis em que estão previstos os jogos do Brasil, o expediente no MP ocorrerá em turno alternado ao da partida. Assim, no dia 22 de junho, sexta-feira, será das 12h às 18h. Já no dia 27, quarta-feira, das 7h às 13h.

Em caso de classificação para as etapas subsequentes, o expediente será das 13h às 18h, nos dias úteis em que houver jogos da Seleção Brasileira de Futebol às 10h, e das 7h às 13h, nos dias úteis em que houver jogos da Seleção Brasileira de Futebol às 14h.

A Portaria nº 595/PGJ considera o teor da Portaria nº 742/2018-PR, do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, publicada no Diário da Justiça nº 093, de 21 de maio de 2018.

LEIA TAMBÉM:

Coluna – Governo de Rondônia pagou R$ 4 milhões em área que foi comprada por R$ 60 mil

Dinheiro usado em desapropriação milionária era para ajudar desabrigados da enchente

“Explicações de Emerson Castro não convenceram”, diz deputado sobre compra de terrenos

Coluna – Parecer da PGE sobre desapropriações milionárias é vago. E é o mesmo para ambos os casos

Coluna – A pretexto de ajudar desabrigados, governo pagou R$ 3 milhões em 9 hectares

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta