Liberações do PIS-Pasep, 13º salário de aposentados e restituições do Imposto de Renda, até meados de setembro, injetarão quase R$ 60 bilhões na economia

A economia brasileira receberá, neste e no próximo mês, uma injeção de quase R$ 60 bilhões em benefícios do PIS/Pasep, pagamentos de aposentadorias e restituições do Imposto de Renda (faça aqui a consulta do terceiro lote do IR). Ainda que pontualmente, o montante deve estimular o mercado, alimentando previsões otimistas de empresários do varejo. Para a parcela da população às voltas com dívidas, é uma oportunidade de colocar as contas em dia.

A partir de hoje, trabalhadores da iniciativa privada ou do setor público com menos de 60 anos, que tenham trabalhado formalmente entre 1971 e 1988, poderão sacar as cotas do PIS/Pasep. Os saldos das contas já virão com a correção de 8,9741% em relação ao exercício passado.

Neste primeiro momento, o pagamento será feito a clientes da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil. A previsão é de que 6,3 milhões de pessoas recebam um total de R$ 5,5 bilhões.

Em uma segunda etapa, a partir de 14 de agosto, 17,5 milhões de pessoas, clientes de outros bancos, terão acesso ao benefício. No total, a expectativa oficial é de que a liberação do PIS-Pasep, que se estenderá até 28 de setembro, totalize R$ 35,7 bilhões.

Após o fim do prazo, apenas trabalhadores com mais de 60 anos terão direito ao saque. Segundo o Planejamento, quem estiver com o cadastro atualizado receberá o dinheiro, automaticamente, na conta bancária.

 

Arte- Correio Braziliense

 

Efeitos

Apesar dos números expressivos, o efeito das liberações na retomada econômica será pontual, na visão de Marcela Kawauti, economista-chefe do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). “É claro que essa injeção representa um alívio, mas não resolve totalmente o problema da fraca atividade econômica do país. Agora,  a curto prazo, poderá representar um alento para o consumo. É uma boa oportunidade para o varejo atrair o consumidor”, avaliou.

O dinheiro adicional anima Roberto Oliveira, 57, supervisor de uma rede de lojas de roupas masculinas em Brasília. “Esperamos um aquecimento nas vendas. Acredito que o dinheiro que está sendo injetado na economia já pode ser utilizado, nesse início, para as compras do Dia dos Pais. Certamente deverá impactar no movimento do comércio”, disse.

Para Heráclito Maximiano, 51, bancário, o saque do Pasep será essencial na quitação de encargos. “Vou pagar conta. O que eu receber vai me ajudar no orçamento mensal. Para ser específico, vou cobrir o cheque especial. Não vou gastar em consumo, até pelo fato de que o pagamento dessa dívida vai liberar condições para eu consumir mais no futuro”, afirmou.

Segundo Fábio Bentes, economista-chefe da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), as liberações vão movimentar a economia, mas o efeito deve ser visto com cautela. “Fizemos um levantamento e a injeção desse dinheiro no varejo somará R$ 5,4 bilhões no Dia dos Pais. No entanto, os resquícios da crise ainda são muito recentes. O consumidor tem de ter, no mínimo, alguma reserva de recursos, já que é difícil fazer uma previsão sobre o cenário do país no fim de 2018”, alertou.

Para o servidor público Simon Ribeiro, 51, o valor do Pasep que será depositado em sua conta servirá para alguma compra imediata. “Creio que meu benefício será pequeno, até por ter ingressado no serviço público no fim da década de 1980. Vou deixar no saldo na conta. Isso vai me ajudar com algum consumo imediato, alguma coisa que meu filho precise, por exemplo”, observou.

Restituição do IR e 13º de aposentados

A partir de hoje, é possível consultar o terceiro lote de restituições do Imposto de Renda de 2018. O contribuinte deve acessar o site da Receita para saber se está na lista. O lote também inclui restituições dos anos de 2008 a 2017 que ficaram retidas na malha fina e, agora, estão normalizadas. Os pagamentos ocorrerão a partir do próximo dia 15, somando R$ 3,6 bilhões.

Já o pagamento da primeira parcela do 13º salário para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) será feito a partir de 27 de agosto. De acordo com a Secretaria de Previdência,  serão depositados R$ 20,6 bilhões na conta dos segurados. Para o aposentado Valdemir Martins, 62, o dinheiro servirá para quitar dívidas. “Vou botar as contas em dia. Não posso alocar esse dinheiro para outros gastos, não está dando para consumir diante dessa crise”, afirmou.

Reportagem de Gabriel Ponte – Correio Braziliense

Alan Alex
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta