fbpx
Moradores protestam e fecham acesso a lixão em Cacoal, RO

Famílias querem que o local seja apenas para realização do transbordo. Secretário diz que município não tem recurso para investir no aterro.

moradoras do Setor Prosperidade em Cacoal (RO), município a cerca de 480 quilômetros de Porto Velho, realizam um protesto em frente ao suposto aterro sanitário construído na região. A reivindicação dos moradores é que o espaço seja usado para transbordo do lixo, que deveria ser levado para Vilhena, e isso não estaria ocorrendo. A manifestação começou na terça-feira (14) e segue nesta quarta-feira (15). A Sema diz que tenta um acordo.

O agricultor Aquimo Farias Ribeiro, de 47 anos, afirma havia um acordo com o secretário de meio ambiente e o lixo seria despejado em uma lona e em seguida os resíduos seriam levados para Vilhena. “O lixo está sendo despejado no solo e o chorume está se formando. O lixo passa vários dias no chão sem ser retirado”, conta.

Aquimo garante que em sua chácara, localizada próxima ao espaço, 200 peixes morreram na última semana. “Eu vou mandar fazer uma análise na água da minha represa, pois acredito que tenha sido contaminada devido o chorume que já se espalhou pelo solo”, acredita o morador.

Antes de realizar o protesto, moradores afirmam ter enviado ofícios comunicando sobre o ato para o Ministério Público, Delegacia Civil, Policia Militar, Câmara de Vereadores e prefeitura.

Os manifestantes colocaram correntes nos portões permitindo a passagem apenas do caminhão para a realização do transbordo e da equipe de reciclagem.  “Nós não iremos deixar que os caminhões de lixo entrem no aterro, pois não há mais local para colocar esse lixo”, garante Aquimo.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente (Sema), José Aparecido Limeira, diariamente uma empresa terceirizada leva para Vilhena 65 toneladas de lixo coletado em Cacoal, porém o município está produzindo uma quantidade maior. “Já está em tramitação um processo para aumentar para 70 toneladas de lixo diário para serem transportados para Vilhena”, afirma Cido.

O secretário também reconhece que deixar o lixo direto em contato com o solo, não é a forma correta, mas afirma que a prefeitura não tem recurso para construção de uma rampa e nem de uma manta permeabilizada.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta