MP deve investigar acúmulo de cargos de servidora de prefeitura com 63 atestados

Cresce desemprego entre os jovens de até 24 anos, diz Ipea

Licenças médicas foram concedidas à funcionária somente pela prefeitura; ela também é servidora na ALE-MT

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou inquérito para apurar o acúmulo de cargos de uma servidora do município de Sinop, distante 503 km de Cuiabá, que também era funcionária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), na capital. Segundo o MPE, durante análise da documentação constante nos autos, foi constatado um elevado número de licenças médicas concedidas à servidora.

De acordo com a portaria, a funcionária e a prefeitura de Sinop têm o prazo de 30 dias para justificarem o motivo da apresentação dos atestados. Ao todo, a servidora usou as licenças médicas em 63 ocasiões no município.

Ainda segundo o MPE, as licenças foram concedidas à servidora pela prefeitura daquele município enquanto ela acumulava outro cargo na ALMT, em Cuiabá.

No mesmo período, no entanto, não há nenhum registro de afastamento por motivos médicos na ALMT, o que, para o MPE “aponta para uma possível existência de irregularidades, quanto a legalidade das licenças”.

A prefeitura de Sinop e a servidora devem apresentar documentos que comprovem o motivo do afastamento da servidora. A portaria é assinada pela promotora de Justiça Audrey Ility e publicada no dia 8 de fevereiro.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Por favor, dê um like em nossa página no Facebook
Placeholder
Anterior «
Próximo »

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

  • twitter
  • googleplus

Deixe uma resposta

Direto de Brasília

Associado da Liga de Defesa da Internet