Ministério Público

MP deve investigar acúmulo de cargos de servidora de prefeitura com 63 atestados

MP deve investigar acúmulo de cargos de servidora de prefeitura com 63 atestados

Licenças médicas foram concedidas à funcionária somente pela prefeitura; ela também é servidora na ALE-MT

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou inquérito para apurar o acúmulo de cargos de uma servidora do município de Sinop, distante 503 km de Cuiabá, que também era funcionária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), na capital. Segundo o MPE, durante análise da documentação constante nos autos, foi constatado um elevado número de licenças médicas concedidas à servidora.

De acordo com a portaria, a funcionária e a prefeitura de Sinop têm o prazo de 30 dias para justificarem o motivo da apresentação dos atestados. Ao todo, a servidora usou as licenças médicas em 63 ocasiões no município.

Ainda segundo o MPE, as licenças foram concedidas à servidora pela prefeitura daquele município enquanto ela acumulava outro cargo na ALMT, em Cuiabá.

No mesmo período, no entanto, não há nenhum registro de afastamento por motivos médicos na ALMT, o que, para o MPE “aponta para uma possível existência de irregularidades, quanto a legalidade das licenças”.

A prefeitura de Sinop e a servidora devem apresentar documentos que comprovem o motivo do afastamento da servidora. A portaria é assinada pela promotora de Justiça Audrey Ility e publicada no dia 8 de fevereiro.

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!
Next article Assassinato de menino de dois anos é transmitido ao vivo pelo Facebook
Previous article Marisa Letícia nunca foi servidora do Congresso nem recebia R$ 68 mil

Related posts

0 Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Você pode ser o primeiro a comentar esta postagem postar comentário!

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta