Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Mulher acusou marido de terrorismo para impedi-lo de viajar com filho

0

Esposa do suspeito revelou que ele pretendia levar o filho para o Paquistão, após uma briga do casal

Um homem foi detido neste domingo (10/7) na região administrativa de São Sebastião, após ser denunciado pela própria mulher porque teria a intenção de explodir o Aeroporto Internacional de Brasília. De acordo com informações preliminares, o suspeito, que se chama Rashad Sohail, tem 32 anos, seria paquistanês e entrou no Brasil em 2014. Ele teria visto permanente porque se casou com uma brasileira.

Em entrevista coletiva na noite de domingo (10/7), a PM informou que a mulher do suspeito revelou que ele pretendia levar o filho deles, de 1 ano, para o Paquistão, após uma briga do casal. A polícia trabalha com a hipótese de ela ter ficado com medo e acusado o marido de terrorismo, para evitar que a criança desaparecesse.

A polícia também informou que a mulher de Rashad Sohail afirmou ter sido ameaçada de morte por ele. “Ele disse que era para a família dela ir ao aeroporto, que ele ia matar a família e se matar”, informou o tenente Feltrine, que atendeu a ocorrência. O homem parecia perturbado e falava coisas sem sentido. “Ele me convidou para ir ao aeroporto também”, disse o oficial.

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do DF chegou a ser acionado, fez uma varredura no imóvel e não encontrou nada. Ele prestou depoimento no Departamento da Polícia Federal, no Setor Policial Sul. Por precaução, uma varredura também foi realizada no aeroporto, onde nada foi encontrado.

Levado pelos militares para a 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), houve o registro baseado na Lei Maria da Penha contra ele, por ter agredido a companheira. Segundo o delegado-chefe Marcelo Portela, em um determinado momento, o homem teria dito que planejava, de fato, explodir o aeroporto. No entanto, não houve termo de declaração e não há registros oficiais na delegacia que confirmem a informação.

Segundo a Polícia Militar, a mulher foi até o quartel da corporação em São Sebastião e denunciou o marido. Disse que ele faria um “ato” no aeroporto JK. Ainda de acordo com a PM, contou que o homem seria argelino e que tinha uma outra família no Paquistão. Relatou, também, que o companheiro teria falsificado um documento de óbito da primeira mulher para poder se casar com ela e obter o direito de ficar no Brasil.

A PM confirmou que o homem estava na lista de um voo previsto para esta segunda-feira com destino a São Paulo e, depois, seguiria para os Emirados Árabes. A corporação explicou ainda que ele já tinha a passagem de volta, com retorno marcado para setembro.

Em nota, a PF informou que só se pronunciará na segunda sobre o caso: “A respeito do que vem sendo noticiado pela imprensa sobre um suspeito terrorista preso pela PM em Brasília, a Polícia Federal informa que ele e sua esposa estão sendo ouvidos nas dependências da SR/DF bem como estão sendo efetuadas buscas de informações junto a organismos internacionais.

Aparentemente tranquilo

De acordo com vizinhos ouvidos pela reportagem, o estrangeiro é um homem aparentemente tranquilo e que passa boa parte do tempo trabalhando na reforma do imóvel. “Nunca vimos qualquer movimentação estranha que nos levasse a acreditar que havia armas ou bombas na casa”, disse um dos moradores da rua, que preferiu não se identificar.

Comentários
Carregando